23 de out de 2011

SIMPLES E ORDINÁRIO

amo
ficar à toa
de pernas
jogadas
para o ar
olhando
o sol
nascer
e depois
ver o sol
se escondendo
tudo
o que é simples
tudo o que parece
ordinário
e sem graça
é tudo
o que me fascina
eu adoro
ver a tarde morrer
nos braços
da noite
e o dia
soluçar
de saudades do sol
amo
ficar sentado
na calçada
vendo os vizinhos
curiosos
querendo também
um pouco
da minha felicidade
eles não sabem
que a beleza dos meus olhos
está
na simplicidade
do que parece ordinário
e sem graça
o simples
por do sol