23 de out de 2011

MEU ÓDIO

meu ódio
me faz
sempre
olhar para trás
e ver o que deixei
e ver o que perdi
me ódio
me arremessa
para
a mais plena
e sombria
inconsciência
me ódio
me faz transpirar
me faz ver
o que não existe
cega meus olhos
acaba
com o meu humor
me ódio
corrói
todo amor que sinto
e o que se sinto
de desfaz
como pó
como as cinzas
que de um papel
me ódio
me eleva
me deixa consciente
com os pés no chão