21 de out de 2011

MEDO

Não tenho
Medo de nada
De nada
Do que já conheço
Não tenho
Medo
Dos dias
Que virão
Das tardes frias
De verão
Não tenho medo
Dos amores
Que nascem
Todos os dias
E todas as horas
Não tenho medo
De uma nova
Dor
Todas as dores
Doem no mesmo lugar
Não tenho medo de nada
Nem de mim
Nem de qualquer sentimento
Que haja dentro do meu eu