3 de out de 2011

DEVOLVAM-ME

devolvam-me
os sonhos
e o meu direito
de sonhar
devolvam-me
a vida
e o meu direito
de viver
devolvam-me
meu sorriso
minha liberdade
devolvam-me
minhas asas
não quero
ver
este mundo sem cor
devolvam-me
meus arco-íris
minhas telas
minhas aquarelas
não quero
que haja mim
carência alguma
devolvam-me
os papéis
e as fantasias
quero acreditar
que ainda é possível
sonhar
devolvam-me
o direito
de ser quem que eu quiser
quero apenas
voar
viver
e rabiscar