4 de out de 2011

CADA VEZ MAIS

enlouqueço
cada vez mais
penso
cada vez
mais
busco memórias
pessoas
meus versos
e minhas poesias
enlouqueço
sempre
e cada vez mais
e as noites
me embriagam
e as manhãs
tantas manhãs
mortas em mim
enlouqueço
neste silêncio
absurdo
neste silêncio
que não há mais
enlouqueço
cada vez mais
e viver
é uma peça
de ato único...