23 de out de 2011

APRENDI A TE AMAR

aprendi
a te amar
te amar assim
como és
doce
e intempestiva
suave
e vendaval
cheia de risos
e de lágrimas
cheia
de certezas
e inseguranças
aprendi
a te amar
sem olhar mais
as nossas diferenças
sem ligar mais
para o que passou
aprendi
a te olhar
do meu jeito
e a entender também
o teu jeito de amar
não culpa
e nem culpados
não inocentes
aprendi
a te amar
agora mais calado
e mais certo de mim
em rodeios
sem rodamoinhos
aprendi
a te amar
para que possa te amar
sem medo
porque vejo em ti
partes vivas
do meu eu
doce
intempestivo