23 de out de 2011

APENAS SINTO

não digo
me calo
apenas sinto
não reclamo mais
absorvo
não digo
nem exponho mais
sentimentos
apenas sinto
deixo meu olhar
e as marcas
do meu corpo
falarem por mim
apenas sinto
o que me falam
e falam
sempre demais
coisas que não quero ouvir
e não mereço
não digo
apenas sinto
sinto
a dor que doí
calada
sinto ainda
a dor
do coração partido
do corpo arranhado
cheio
do que não aceito
e do que não quero para mim
não digo
apenas sinto