25 de out de 2011

ADVERSIDADES

não costumo
olhar
para trás
nos caminhos
onde passei
não gosto de rever
as adversidades
que tentaram
me derrubar
prefiro seguir
esquecendo tudo
o que passei
as cicatrizes
me fazem lembrar
todos os dias
tantas
adversidades
tantas razões para desistir
e voltar
tantas razões
e motivos para seguir
não costumo
reclamar
dos espinhos
nem das pedras
nem de todas as adversidades
que sempre me fizeram
sorrir
não costumo
chorar
depois que tudo passou
passei
o que tinha
que passar
nada que meus ombros
não suportassem
nada que me fizesse
desistir
nem parar
não costumo ficar
olhando
o passado
eu sei
novas adversidades