23 de set de 2011

DOCE DOCE

Parece
Doce
Daqueles
Doces
Que se quer
Provar
Não posso
Correr
Riscos
Nem me perder
Em minhas
Próprias
Tormentas
E nem
Criar
Castelos
Perto
De um
Imenso
Mar
Parece
Irresistível
E para mim
Inevitável
Sonhar
E não querer
Me perder
Em nevaneios
E nas tuas
Águas
Parece
Doce
Doce que lambuza
Doce que dá sede