9 de ago de 2011

SOU DA NOITE

sou da noite
como todos
os gatos
pardos
viro-lata
caço rato
mio
nos telhados
sou da noite
ando
na companhia
solitária
de mim
de minhas sombras
não deixo
rastros
por onde passo
becos
escuros
me atraem
frestas
de luz
pires
com leite
uma toalha velha
a lua
como teto
eu sou da noite
como todos
os gatos
também sou pardo
mio
me arrasto
não me vêem
também não vejo ninguém