1 de ago de 2011

NÃO É ASSIM

não é assim
que se deixa
de amar
desviando
os olhos
matando
o olhar
não é assim
que se despede
da saudade
mãos
abertas
e braços fechados
não é assim
que se desfaz
a solidão
portas fechadas
janelas
e a escuridão
não é assim
que se esquece
o que se viveu
há vida
ainda
esperando
na esquina
a morte
não leva nada
não é assim
que se vive
não é assim
enlouquecendo