17 de ago de 2011

DIFERENTES

não temos
nada em comum
és
a água
eu o óleo
és o fogo
eu o vento
somos
diferentes
és a luz
eu a escuridão
a noite
a madrugada
fria
os pés descalços
na calçada
suja
não temos nada
mais
e nunca tivemos
algo em comum
apenas nossas mentiras
apenas nossos desejos
e hoje nada
mais
somos diferentes
em tudo
na maneira
de ver a vida
na maneira de sentir
de querer
de entender
quando é hora de parar
somos diferentes
e não temos
nada
em comum
apenas um caminho
que se cruzou
e nada mais