18 de jul de 2011

NOITE

"gosto da noite...
gosto das ruas vazias,
sem nada, sem ninguém,
sem carros...
gosto do sopro do vento
em meus ouvidos...
gosto do calor gélido
da madrugada
quase sempre nua..."
gosto
dos sonhos
quase sempre incompletos
e da possibilidade
de quase sempre
poder sonhar.
gosto
do sabor
da noite
de ver o dia
nascer
olhando
da sacada
de um prédio qualquer
gosto
da calma
e de andar
com as almas
pelas calçadas..."