5 de abr de 2011

“Vida bandida”


Hoje
Eu era
Para estar
Por ai
Mendigo
Andarilho
Entre as putas
E os drogados
Numa vida
Louca
Vida bandida
Hoje
Sem você
Eu
Pra ser
Um qualquer
Um poeta
Sem poesia
Era para
Ser
Um indigente
Abandonado
A sorte
De uma vida
Sem sorte
Hoje
Por você
Sigo reto
Vivendo feliz