7 de abr de 2011

“Brilho”

Cadê
O brilho
Dos teus olhos
Cadê
O sorriso
Dos teus lábios
E o amor
Que sempre
Havia
Em tuas
Juras
Cadê
O animo
Quando
Nasce
A manhã
Não te quero
Ver
Entediada
Como se viver
Fosse sacrifício
Como
Se não
Houvesse
Mais motivos
Quero de volta
O brilho dos olhos
O sorriso
A vida e nosso amor de sempre