31 de mar de 2011

“Sem chance”

Não adianta
Voltar
Correndo
Pedindo
Esmolando
Agora
É de vez
Sem chance
Não quero mais
Teus sorrisos
Infames
E tua boca
Venenosa
Não quero
Mais
Palavras
Azedas
E tuas provocações
De sempre
Não dá mais
Sem chance
Já foi
Já deu
O que tinha
Que dar
Não dá mais
Acabou
De vez
Sem chance