30 de mar de 2011

“Paranóia”

Poderia
Enlouquecer
Ainda
Mais
Quando
Vi
À noite
Se despindo
Para mim
Poderia
Ficar
Ainda
Mais alucinado
Imaginando
O telefone
Tocando
Na madrugada
Em que nada
Mais
Havia
Nem esperança
Poderia
Viver
Nessa paranóia
De te querer
Sem querer
De te
Amar
Sem amor