30 de mar de 2011

“Nem bem nem mal”

De verdade
Não me fazes
Nem bem
Nem mal
Se quiser
Eu iria
Como não queres
Fico
Eu onde
Estou
De verdade
Também
Não sei
Ir-se-ia
Se tu chamasses
Meu nome
Nem bem
Nem mal
Mesmo
Que eu queira
Morrer
Em teus braços
Não me prendo
A ti
Pássaro
Sem asas
Que adiantaria
Sofrer
Se até o sofrimento merece razão