30 de mar de 2011

“Não tô entendendo nada”

Não diz
Que sim
Nem que
Não
Faz-me de bobo
Na sua mão
Fica
Nas entrelinhas
Nas meias
Palavras
Para que eu
Interprete
Errado
E depois
Perca-me
No pecado
Não me chama
Nem me manda
Embora
Me quer
Por perto
Rondando
Lobo
Uivando
Esperando
Ou é isso
Ou não

Entendendo nada