11 de mar de 2011

não
me alegro
à toa
sem sentindo
não minto
palavras
nem finjo
sentimentos
vazios
as mesmas
flores
que me alegravem
agora
são
as mesmas
que me fazem chorar
os ventos
que me levaram
e me mostraram
o mundo
são os mesmos
que quebraram
minhas velas
e me fizeram
ficar
a deriva
no meu mar
não sorrio
mais
por coisas
à toa
já fui
muitas vezes
palhaço
sem picadeiro
já fui
muitas vezes
artista
de mim mesmo
quantas
vezes interpretei
e fui mal
interpretado