30 de mar de 2011

“Meu abismo, meu abrigo”

Sei onde
Morro
Onde renasço
Onde me
Escondo
Onde me
Acho
Sei
Onde há
Dor
Em mim
Sei
Onde curar
A dor
Que há em mim
Meu abismo
Meu abrigo
Sei
Para onde
Fugir
Sei
Por onde escapar
Conheço
Meu silêncio
E o que há
Em meus pensamentos
Meu abismo
Meu abrigo
Meu fundo de mim