29 de mar de 2011

“Mal nenhum”

Não te quero
Mal nenhum
Já nem
Sei
Se te quero
Bem
Ou se quero
Apenas
Minha
Não te quero
Amanhã
Feito
Sombra
E não te quero
Hoje
Com culpa
Te quero
Sempre
Como sempre
Te quis
Te quero bem
Não te quero mal
Mal nenhum
E que fique
Como sempre
Esteve
Intacto
Em mim
Insensato em ti