29 de mar de 2011

“Luz da madrugada”

Essa luz
Essa luz
Da madrugada
Não me cega
Mais
Meu olhos
Doentes
Já não
Sentem
Mais
A dor
Da solidão
Que vejo
Essa luz
Essa luz
Da madrugada
Não assusta
Mais meus medos

Não tenho
Medo
Das sombras
Desses
Corpos
Nu
Jogados
A sorte
Sob
A luz da madrugada