26 de mar de 2011

“Hora deserta”

Escuto
Meu silêncio
Percebo
Minha hora
Deserta
E o coração
Em desatino
E dor
Dilacerando
Minha vida
Escuto
Meu silêncio
Minha hora
Deserta

Não mais em
Mim
Sorrisos
Já não mais
Em mim
Vontade
De voltar
Caminho
No meu sertão
Pés nos chão
Em minha
Hora sempre deserta
Nessa sempre minha solidão