14 de fev de 2011

não vejo
ninguém
nas janelas
as luzes
estão acesas
não há ninguém
somente
eu
a olhar
o que ninguém
mais vê
talvez
alguém me olhe
de longe
talvez
de longe
eu não vejo
ninguém
só as janelas
cheias
de poeira
somente
as luzes acesas
não ninguém
louco como eu
não há mais
o que fazer
vida demais
para viver
e eu olhando
a poeira
nas janelas