28 de jan de 2011

já é tarde
as horas
morrem
secas no relógio
não sobrou
nada de nós
nenhuma lembrança
ficou
de tudo o que passamos
dos momentos
que achamos
ser eternos
já é tarde
arrume
suas malas
e vá embora
não há mais
nada que lhe
segure
aqui
nem as paredes
desse quarto
as portas
estão abertas
já é tarde
não precisa esperar
o sol
o sol para nós
não mais
nascerá