19 de out de 2010

não há no mundo
que me roube
de você
não há no mundo
que me faça
de novo
caminhar
os mesmos passos
que já caminhei
não há no mundo
quem me ame
com o mesmo amor
com a mesma intensidade
com a mesma paixão
com o mesmo entusiasmo
não há no mundo
quem seja capaz
de me entender
como você
me amar
como você
saber de mim
como você