19 de out de 2010

não brinco
de amar
assim como
não brinco
de escrever
também
não brinco de viver
como não brinco
de sentir
tudo é tudo
coisa alguma
se perde
não brinco
de nada
tudo é sério
demais
risos
disfarçam
tornam
leve toda brincadeira