28 de mai de 2010

TRAÇOS VISÍVEIS*

vejo
em seus olhos
traços
visíveis
de tristeza
e certa
melancolia
vejo
em seus dias
todos
sempre iguais
traços visíveis
de uma dor
que dói demais
e não passa
e não há o que cure
vejo em sua vida
uma estrada vazia
uma estrada
sem cercas
sem flores
sem céu
e grito seu nome
bem alto
para que acorde
para que desperte
para a vida
e para o amor
que grita alto
seu nome