25 de abr de 2010

PEITO ABERTO

eu me rasgeie
toda
vim de peito
aberto
te chamando
pra voltar
me dei
me doei
mais do que devia
e segui
sem olhar
para trás
sem ver
o rastro
de sangue
e de vida
que deixava para trás
eu me rasgueie
me doei
me perdi
diante do que sentia
tudo muito
intenso
e eu apenas uma menina
insegura
sem porto
sem olhos
sem amigo
eu que precisava
tanto de um amigo
de uma mão que me segurasse
não queria
dedos que me condenassem
eu
vim de peito aberto
disposta
a escutar tudo
a ceder
a me entregar
pra não te perder
me rasgueie
mais uma vez me magooei