24 de dez de 2010

Pedi a Deus para ser forte, a fim de executar projetos grandiosos,
E Ele me fez fraco, para conservar-me na humildade...
.
Pedi a Deus que me desse saúde, para realizar grandes empreendimentos,
E Ele me deu doença, para compreendê-Lo melhor...
.
Pedi a Deus riquezas, para tudo possuir,
E Ele me deixou pobre, para não ser egoísta...
.
Pedi a Deus o poder, para que os homens precisassem de mim.
E Ele me deu a humildade, para que eu precisasse Dele...
.
Pedi a Deus tudo, para gozar a vida...,
E Ele me deixou a vida, para eu poder gozar de tudo...
.
Senhor, não recebi nada do que pedi, mas me Deste tudo de que precisava.
E quase contra a minha própria vontade, as preces que eu não fiz foram ouvidas....
.
Que Assim Seja !!!
Entre todos os homens, ninguém tem mais do que eu!
.
Diferente de mim, Deus me deu tudo aquilo que pedi e tudo aquilo que eu precisava. Aprendi a entender as diferenças entre fazer o bem e querer apenas o bem. Aprendi a verdadeira intensidade do amor e o que é amar de verdade. Conheci a luz e a escuridão. Passei a entender que amigos vem e vão. Agora sei que ninguém é de ninguém, mas sei também como fazer para o amor entre duas pessoas ser eterno. Que venha 2011. Que venha mais um ano intenso, cheio de vitórias e desafios. Aprendi com a derrota a valorizar cada conquista. Sou um homem melhor. Filho, Pai e Avô. Homem, Poeta, Visionário... Sei que o ano que vem Deus nos dará apenas uma condição, sermos de verdade felizes.
.
FELIZ NATAL DE LUZ
FELIZ ANO NOVO DE FELICIDADE ETERNA.

21 de nov de 2010

Minhas amigas
São flores
Em meu jardim
Flores
Que cuido
Com dedicação
Distribuindo versos
Poesias
Traduzidas
Pelo coração
Minhas amigas
São como vento
Que sopram
As velas do
Meu barco
Chamado
Vida
O ano morreu
Deixou
Apenas vestígios
Que jamais
Se apagarão
O ano morreu
Deixou
Os calendários
Marcados
Não há como
Simplesmente
Esquecer
Há como
Se preparar
Para mais um ano
Novo
O que ficou
Já era
É passado
Parte da história
Amanhã
Esquecida
A noite
Está serena
Tranqüila
Como sempre
O céu
Sem estrelas
As ruas
Sem ninguém
Os carros
Correm apressados
As putas
Nas esquinas
Há corpos
Jogados no chão
Imundo
A noite
Os gatos
Pardos sumiram
Não sou
Mais criança
Nunca acreditei
Em papai Noel
Nem em coelho da páscoa
Nem em fadas
Muito menos em princesas
Sempre
Acreditei
Em sapos
Nos dragões
E doendes
Não sou mais criança
Sei lidar
Com as verdades
E com mentiras
Nunca acreditei
Em você
Mentiu para mim
Mentiu para você
Jogou fora
Meus sonhos
Meus desejos
Minhas ilusões
Você brincou comigo
Com meus sentimentos
Com meu coração
Você
Matou
Voc~e para mim
Me fez sorrir
Me fez chorar
Me fez querer
Me fez agora
Esquecer você
Você jogou
Fora
Tudo aquilo
Que chegamos
Juntos a
Sonhar
Quero teu bem
Te fazer feliz
Quero te sentir
Me realizar
Em teu corpo
Te eternizar
Te tatuar em mim
Quero teu bem
Te fazer feliz
Te fazer sonhar
Andar
De mãos dadas
A beira da loucura
Quero teu bem
E meu bem também
Sem olhar
Para trás
Quero depois
De tudo
Para sempre
Te sentir no vento
Não há volta
Se formos
Embarcar
Rumo aos sonhos
Escreverei
Poesia
Em teu corpo
Beberei
O mel
Dos teus seios
E puro
Néctar
Das tuas pernas
Não há
Depois
Como esquecer
E querer
Viver tudo de novo
As poesias
Do teu corpo
Sumirão
Sempre
Sonhei
Encontrar
Alguém
Assim como você
Sempre quis
Ouvit
Tudo
O que me oferece
Amor
De um momento
Amor
Que não morra
Amor
Que fica
Sempre
Quis viver
Meu sonho
Sempre duvidei
Que alguém como você
Pudesse existir
Pudesse me querer
Eu quero
Demais
Te sentir
Mas não sou
Que darei
O primeiro passo
Eu quero
Demais
Te amar
Mas não sou eu
Que vou
Arriscar
Perder
O que tenho
Eu quero
Tudo que seja verdade
Mas não sou
Eu que
Irei sozinho
Em direção alguma
Não brinque
Com meus sonhos
Não brinque
Com meus desejos
Com minha fúria
E minha ânsia
De querer
Pode
Me perder
E nunca
Mais me achar
Pode me machucar
E nunca mais
Me curar
Não brinque
Com minhas ilusões
Posso
Não suportar
E morrer
Ainda
Não te sinto
De verdade
Ainda
Não sinto
Tuas vontades
Tenho
Apenas
Suas palavras
E a imagem
Dos teus desejos
Ainda não te
Sinto
Viva
Em mim
Para que enlouqueça
Para que eu te queira
Além
De mim
Ainda não te sinto
Estás
Muito distantes
De mim
Penso
Em você agora
Como está
Se dorme
Se pensa
Em mim
E rola
Na cama
Me buscando
Em sonhos
Penso em você
No seu sono
E sei
Quem se lembra de mim
Sonhos
O sonho
Que não
É o mesmo que o meu
Eu esperei
A noite
Toda
O telefone tocar
Não tocou
Acordei
Então
Entendi
Que tudo
Era mesmo invenção
Mais uma
Loucura
Das tantas
Que cansei
De inventar
Eu esperei
Acordar
Envolvido
Pelos seus abraços
Acordei
Na solidão
Vazia
Do meu quarto
Eu posso ir
Te sentir
Te amar
E voltar
Como se nada tivesse
Acontecido
Eu posso
Ir
E me arrepender
Para sempre
De não ter
Vivido
Eu posso parar
De sonhar
Posso acordar
Como sempre
Sem ter
Dor alguma
De ter errado
De não ter vivido
Na listas
De prioridades
Não tem
Novo amor
Não tem
Novo sol
Nem nova vida
Existe sim
Lugar
Para o mesmo
Amor
Para que mantenha
Viva minha paz
Dias de sol
Mandar embora
Mal humor
Minha lista
De prioridades
Está fechada
Não há lugar
Para mais
Nada
Sei
Até onde
Posso ir
Sei qual
É o caminho
Que devo seguir
Sei quais
São todas
As pedras
Do meu caminho
Conheço
Bem as nuvens
Do meu céu
E os ventos
Sei
O que quero
E você
Não faz parte
De nada disso

18 de nov de 2010

Quem são
Esses olhos
Que me olham
Que sonhos
São esses
Que me assombram
Quem são
Os fantasmas
Do passado
Ainda vivo
Que dores
São essas
Que marcas caladas
Em mim
O que é tudo isso
Que não sei
E que estão em mim
Escrevo
O que vivo
Minhas confusões
Meus delírios
Escrevo
O que sinto
Confusões
Perturbações
Serenas
Do meu eu
Não fantasio
Sei onde morre
O sonho
E onde é viva
Minha realidade
Escrevo
O que sou
Razão
Coração
Amor
Não
Não vou mais
Atrás
De você
Não vou mais
Me iludir
À distância
Entre nós
Será
Sempre a mesma
Não darei
Mais nenhum
Passo
Para a destruição
De mim
Não
Não lhe
Quero mais
Eu mesmo
Consigo
Suprir
A falta
Do amor
Que às vezes sinto
Eu mesmo
Consigo
Suportar
As ausências
Que choram
Em meus ombros
Eu mesmo
Consigo
Respirar
Quando me roubam
O ar
Eu mesmo
As vezes me sufoco
E se eu
Não vir você
Amanhã
E se eu puder
Falar
Mais
O que sinto
O que vou
Fazer com tudo
O que me inspira
E se eu perder
O momento
Agora
O que farei
No meu amanhã
Sempre
Incerto
Não há
Mágica
Na magia
De viver
O que se planta
Se colhe
Assim
É com todos
E assim será
Sempre
Não há mais certo
Nem tempo
Não há segredo
Plantou
Colheu
Sem culpa
Nem culpados
Pensamento vazio
Tento pensar
Em algo
Não me vem
Nada
Fico olhando
Para o vazio
Nem o vazio
Me diz nada
Parece que está
Calmo
Essa aparência
Me mata
Pensamento vazio
Não sinto nada
Meu eu agora
Em silêncio
E o silêncio agora
Em mim
Não posso amar
Todas
As mulheres
Que me inspiram
Poesias
Não posso perder
A cabeça
E correr
Atrás
De toda mulher
Que me faz
Enlouquecer
Tenho que me segurar
Tento
Não ver essas mulheres
Que querem
Roubar de mim
Minha paz
Eu não saio
De casa
Não vou ao cinema
Não vou a praia
Esqueci
Como é o mar
Eu não saio
Para a vida
Tudo para mim
Se resume apenas
Na ida
Eu não vivo
Sobrevivo
Limitado
Como peixe fora
D’água
Morrendo lentamente
Querendo
Não morrer
De onde vem
Essas mulheres
Morenas
Com sua exuberância
E seus cabelos lisos
Será
Que caem do céu
Será
Que são anjos
Na terra
Ou o mal
Querendo tirar-me
A paz
De onde vem
A mim
Essas mulheres
De pele morena
E de perfume
Espalhado pelo vento
Eu vivo
Por nós
Para nós
Não há mais
Ninguém em mim
Eu vivo
Assim
Isolado do mundo
Andarilho
Desconhecido
Sem passagem
De ida
Nunca vou
Sempre volto
Vivo
Por nós
Não há mais
Ninguém
Em mim
Queria fazer
Outra coisa
Queria estar
Em outro lugar
Queria ser outro
Alguém
Queria poder
Esquecer
De mim
Queria não sonhar
E não querer
Queria
Poder voar
Queria levantar
E ir embora
Para minha casa
Ir embora
Desse lugar
Eu queria
Meus amigos
Não existem
Não tenho amigos reais
Amigos
De abraços
De noites sem fim
Amigos
Que vem
Sábado
A noite em casa
Para beber
Cerveja
Eu não bebo
Talvez seja por isso
Que não tenha amigos
Que não sejam reais
Tanta beleza
Por aí
Exposta
Seduzindo
Tanta beleza
Confundindo
Minha paz
Mexendo
Com meus instintos
Não quero
Ver
Quando vir
Não quero sentir
Nenhuma emoção
Nenhum arrepio
Nenhum desejo
Tanta beleza
Tantos ventos
Eu cai
Cai de mim
Cai de tudo
O que eu sentia
Cai dos meus
Pensamentos
Cai dos meus
Sonhos
Perdi
O controle
Sobre
Minhas verdades
Eu cai
Sentado
Sobre minhas
Mais tristes ilusões
Eu cai
Em mim
São os anjos
Que voam
São os anjos
Que ficam entre
Nós disfarçados
São os anjos
Que intercedem
Por nós
Como puder
Crer
Que era verdade
Um anjo
Perto de mim
Acreditei
Em sonho
Não era anjo
Era de verdade
Bem humana
Fui eu
Que coloquei
Você
No céu
Sem saber
Se você
Tinha asas
Não tinha
Fui eu
Que coloquei
Você
No alto
De tudo
Pensei ter asas
Não tinha
Fui eu
Que caiu
Que voltou
Para onde estava
Para minha realidade
Triste
Solitária
A culpa
Não é sua
É minha
Fui eu
Que coloquei
Você
Em um pedestal
Fui eu
Que endeusou você
Fui eu
Que depois
De tudo
Não conseguiu
Chegar
Até você
Fui eu
Que ficou
Embaixo
Observando
Fui eu
Que afastou você
De tudo
De mim
Eu matei
Você
Dentro de mim
Acabei com tudo
De você
Que havia
Em mim
Eu matei
Toda e nenhuma
Esperança
Que havia
Olhei
Seus olhos
E encontrei um vazio
Que antes não havia
O eco do silêncio
Eu matei você
E todo amor
Que pensei
Sentir
A ânsia passou
A necessidade
Passou
A vontade
O querer
As paredes
Tem a mesma cor
Nada
Chama
Mais a atenção
Mesmo
Sendo bela
A beleza
Já não é mais
A mesma
Os olhos não
Procuram mais
Nem a boca
Chama-te mais

13 de nov de 2010

não sei
como ser´
a meu amanhã
posso dizer
sem medo
que espero
que meu amanhã
simplesmente
exista
não sei
como terminará
meus segundos
de vida
nem quando
será minha morte
posso
dizer sem culpa
que serei
eterno
no meu tempo
no tempo que ainda
me resta
deixei
você
vir
falar
comigo
falar
do que queria
do que esperava
deixei
você
para sufocar
com minhas
angústias
o tempo
passou
como o tempo
deixei
você
e você morreu
em mim
matam
minha alegria
de viver
todos
os dias
um pouco
e todo novo dia
encontro
sempre
uma nova alegria
para viver
essa briga
por felicidade
me entristece
uns querendo
me ver feliz
outros
querendo
me ver chorar
não sou
um número
não sou
um instante
um momento
não sou um
vento
uma flor
que murcha
sem água
não sou uma frase
solta
um pensamento
vazio
não sou uma
alma errante
espelho
sem reflexo
não sou
um espaço vazio
não sou
um amor
que não existe
tanta
maldade
ainda
essa guerra
constante
luta
que não acaba
tanta
maldade
viva
querendo
crescer
deixando
raizes
por todos
os lados
tanta
maldade
e o amor
sufocado
querendo
apenas um pouquinho
de ar
cade
o sol
que me fazia
viver
o sol
que aquecia
meu corpo
cade
o sol
do meu caminho
sol
do meu sorriso
cade
o sol
de todos os dias
cade o sol
da minha noite
sol
dess noite
sem vida
não há luz
que clareie
essa escuridão
estou cego
sem querer ouvir
nada também
não há
sorriso
que ilumine
esse horizonte
estou cego
cego de tudo
de amor
de qualquer
sentimento
de qualquer existir
que ainda insisti
em existir
hoje
estou triste
cansado
como se o mundo
tivesse
debruçado
em minhas
costas
hoje
estou
querendo
ficar morto
hoje
queria
que não existisse
queria
fechar
os olhos
e acordar no amanhã
sem memórias
sem lembranças
não posso
fugir
para minha ilha
não posso
me isolar
o mundo de mim
e nem
me isolar do mundo
gostaria
de uma passagem
só de ida
não posso nem fingir
que não sinto
nada
não posso me esconder
de tudo
que não vejo
estou farto
de tanta maldade
estou farto
dessa
bandalheira
não sei
o que ganham
amo a paz
não sei
viver em guerra
estou farto
cansado
não entendo
porque tem que
ser assim
estou indo
embora
vou mudar
para dentro de mim
vou me fechar
me trancar
escrever

6 de nov de 2010

és
de alma nobre
de alma iluminada
mulher
intensa
és a calmaria
nos
dias
de tormenta
és porto
para tantos
barcos
a deriva
és nobre
és bela
nobre
iluminada
eis
o que me agrada
em ti
além da beleza
evidente
tua leveza
a leveza transparente
de sua alma
eis
o que me encanta
em ti
a nobreza
dos gestos
tua humildade
eis
tudo
o que me condena
a gostar de ti
não uso
tênis
de marca
nem calça jeans
da moda
não tenho
estilo
tribo
não sigo tendências
não me prendo
a detalhes
pequenos
e sou feliz
assim
calça jeans usada
tênis surrado
e coração liberto
não uso mais
o
tempo contra mim
o tempo
passou
rápido
demais
talvez
porque na ânsia
de viver
corri demais
vivi tudo
demais
e deixei
de viver
tudo também
o tempo
agora continua
esvaindo-se
e eu sem pressa
querendo
viver
tudo
o que deixei
de viver