"Se procura prazer, poderá encontrar aqui as suas mais diversas formas. Há quem procure palavras, há quem procure belas imagens, há os curiosos, os que admiram minha maneira de escrever. Uns julgam erótico. Outros julgam ser sensual e uns apenas lêem as palavras aqui escritas. Isso é algo que não cabe a mim julgar. Sei das minhas intenções... Sei do meu amor pela poesia... Sei da minha infinita sede de escrever..."
SEJA BEM VINDO - 9 ANOS DE POESIA! ! !

FÃS DE CARTEIRINHA

31 de jul de 2009

BELO ADORMECIDO*

onde
está
a mulher
aquela
que será
minha por toda vida
onde
está
aquela
que devolverá a vida
sou belo
adormecido
esperando
o beijo
que me despertará
onde está
a mulher
para vida inteira
aquela
que me amará
sem ver meus defeitos
sou belo adormecido
não tenho
pressa de acordar
desse sonho
da mulher perfeita
do beijo inesquecível
do conto de fadas

CHEGUEI TARDE*

cheguei
tarde
você não estava mais
nem seu perfume
nada de você
cheguei
tarde
seu coração
já tinha dono
seus passos
caminhavam
em outra direção
cheguei
tarde
você
não me olhava mais
seus olhos
tinham o brilho
da paixão
e não eram
por mim
cheguei tarde
não encontrei
nem sua sombra
nem seu amor
nada de você
nada do que queria
cheguei tarde perdi você

COISAS EM ORDEM*

não gosto
de nada
fora do lugar
não gosto
de nada
gosto
das coisas em ordem
sou chato
sistemático
implicante
não gosto
que vasculhem as minhas coisas
e tentem desvendar
meus pensamentos
não gosto
de roupas amontoadas
na cadeira
não gosto
de ver a pia
entupida de pratos
sou chato
gosto das coisas
em ordem
com o dicionário
a antes do b
b depois do a
pau torto que nunca
se endireita

MUITO CLARO*

deixe
tudo sempre
muito claro
não fique
falando
nas entrelinhas
tudo merece
sempre
ficar
na transparência
nada
merece as sombras
deixe
seus pensamentos
idéias
amor
deixe tudo
muito claro
para que
nada fique
na dúvida
não há quem mereça
ficar
no escuro das incertezas
deixe tudo
como a luz
muito claro
transparente

MENTE ESTREITA*

abra
a mente
para tudo
o que está na sua frente
pare
de ver
apenas o que é feio
pare de falar
de problemas
abra a mente
leia
bons livros
assista menos
televisão
não faça
sexo
não beba em demasia
não fume
pare de se entupir
com besteiras
abra sua mente
mente estreita
atrofia
a alma
bloqueia a evolução
abra a mente
pense para cima
pense diferente

BASTARIA-ME*

bastaria-me
ver as crianças
declamando
minhas poesias
bastaria-me
encontrar
meus livros
nas prateleiras
das livrarias
tudo
teria valido
à pena
tudo
teria um outro sabor
bastaria-me
um sorriso
e um aceno
bastaria-me
olhar
para trás
e ver que as sementes
germinaram
e árvores frondosas
estão carregadas
de frutos
bastaria-me
e faria-me feliz
para toda vida

CORRENDO RISCO*

mesmo
correndo o risco
mesmo
ficando
alienado
fiz
um mundo
para mim
mundo que pintei
de azul
mundo
que tirei
os muros
mesmo
correndo
o risco
de morrer
sozinho
criei
um mundo
sem cercas
sem barreiras
e pintei
de azul
o céu
e toda terra
mesmo correndo o risco
mesmo parecendo louco

IMORTAL*

nem infalível
nem invencível
imortal
depois de tempos
o amor
sempre renasce
como fênix
das cinzas
assim
é o amor
assim
imortal
pode
parecer
esquecido
pode até ser vencido
o amor
é e sempre
será imortal
mesmo
diante
das tragédias
naturais
mesmo diante
das piores coisas
do mundo
o amor é imortal
e sempre será

INVENCÍVEL*

sempre
achei
que se algo
fosse invencível
seria o amor
mas não é
invencível
mesmo
é o pica-pau
que sempre
se dá bem no final
sempre
achei
que amando
eu seria
indestrutível
que seria invencível
colando
o amor como escudo
o amor
não é invencível
invencível
é a capacidade
de amar
eterna
infinita

INFALÍVEL*

sempre
achei
que se algo
fosse definitivamente
infalível
seria o amor
que engano
infalível
é mesmo
a capacidade
do ser humano
de ser mal
quando quer
sempre
achei
que o amor
mudasse as pessoas
fizesse todo
mundo
ser gente boa
triste engano
o amor
não muda ninguém
nem transforma
se bobear
deforma

30 de jul de 2009

INCISIVO

Preciso
Ser taxativo
Às vezes
Ser incisivo
Dizer não
Às vezes
Preciso sair
Correndo
Pelo mundo
Sem direção
Preciso
Às vezes
Fechar
A porta
Aos apelos
Que o mundo faz
Preciso cortar
Tudo
Todos os abusos
Dizer
Não
Ás vezes
Se faz necessário
Cortar
O mal
Que cresce
Feito raiz
Preciso cortar de mim todo mal

EXECRAR

Odeio
Quem maltrata
A poesia
Quem despreza
Os poetas
Quem usa
Livros
Como suporte
Para mesa
Tenho
Horror
Que não gosta
De arte
Abomino
Qualquer forma
De discriminação
De alienação
De submissão
Odeio
Quem acha
Que poetas
São bêbados
Boêmios
Largados sem amor
Odeio
Quem julga
Sem saber
Sem tentar entender

DISPONÍVEL

Você acha
Mesmo
Que tenho
Que estar
24 horas
Disponível
Pra você
Você acha
Que não vivo
Que não morro
Você
Acha
Que fico do lado
Do telefone
Esperando
Você me chamar
Acha mesmo
Que dependo
Do seu amor
Pra se feliz
Eu era feliz antes
De você
E agora já nem sei
Quem sou eu
Você acha que fico
Disponível
Esperando você
Você me conhece melhor do que eu

FALTA

Falta
Um pouco
Mais
De cor
Nos seus lábios
Falta
Um pouco
Mais
De brilho
Nos seus olhos
Falta
Um pouco mais
De amor
Nos seus dias
Falta
Alguém
Que mexa
De verdade
Com você
Que tire você
Pra dançar
Que tire você do sério
Que faça amor
Com você
Na rua
Falta um pouco
Mais de sangue
Nas suas artérias entupidas

NOÇÃO DE AMAR

Quem não tem
Noção de amar
Sou eu ou é você
Já que o
Amor
É sentimento
Universal
Quem não sabe
Amar
Sou
Eu
Ou é você
A noção de amar
É a mesma
Não muda
Quem foi
Que se perdeu
Nesse sentimento
Que uni pessoas
Para sempre
O amor
É o mesmo
E sempre será
Quem não
Tem noção
Não sabe amar
Sou eu
Ou é você

INCONVENIÊNCIA

Seu problema
É que tua
Ansiedade
Não deixa
As coisas
Acontecerem
Você não deixa
Nada ser natural
Força
A barra
Quer arrancar
Confissões
Na marra
Inconveniente
Seu problema
É não saber
Esperar
É ficar
Andando
Na sala
De lá
Pra cá
Não sabe esperar
Quer sempre causar
E se perde
Inconveniência pura
Esse é seu problema
De todos não saber esperar

SOCIÁVEL

Já fui
Amava
Estar
Entre pessoas
Que sorriam
Depois
Falavam
Mal de mim
Hoje
Me escondo
E sou
Eu quem fala mal
Delas
Hoje
Fico em cima
Do muro
Só trato bem
Que não fala
Mal de mim
Quem fala
Entra pra lista negra
Já fui
Sociável demais
Hoje
Me escondo
Das mentiras
E ofensas
Vivo apenas nas madrugadas

INSTÁVEL EMOCIONAL

Hoje
Rindo
Amanhã
Chorando
Hoje
Vivo
Amanhã
Em pedaços
Totalmente
Instável
Não dá
Pra saber
O que esperar
De você
Nenhum dia
É igual
Você
É um instável
Emocional
Vive na depressão
De um momento
E no êxtase
De um segundo próximo
Impossível
Saber como encontrar
Você
Sorrindo ou chorando
Instável emocional

PESSOA HORRÍVEL

Você
É má
Pessoa
Sem coração
Jogou fora
Meu amor
Me desprezou
Me deixou
Na solidão
Pessoa horrível
Como pode
Fazer isso comigo
Como pode me deixar
Assim
Pisou em meu coração
Esmagou
Sem dó
Você
É má
Cruel
Sem sentimentos
Pessoa horrível
Fez tudo
Para eu me apaixonar
Pra depois
Dizer que era
Tudo mentira
Pessoa feia

ESSE TEU SORRISO

"eu sorriso
encanta por sí só
é nele que a poesia
acontece
é nele que se descobre
encantos
é nele que o vento
quer morrer
esse teu sorriso
daz manhãs cinzas
serem belas
faz das noites frias
noite enluaradas
esse teu sorriso
em resumo
é luz
para os desesperados
para os poetas
como eu
apaixonados"

Para a poeta Malu Monte

FATO*

é fato
as manhãs
não são as mesmas
nem as primaveras
nem as noites
de amor
é fato
que a tristeza
anda solta
que a solidão
anda dominando
muitos
corações
é fato
que o amor
não é mais o mesmo
quem é que
consegue
ser o mesmo
com tudo
o que há
é fato
tudo caminha
para
mãos separadas
corações com medo
e pessoas ainda mais
isoladas do mundo

FORTE TENDÊNCIA*

o que resta
se aos poucos
tudo
vai
se desfazendo
se tudo vai
por aí
sem rumo
parece
que o tempo
anda dopado
com uma forte
tendência
de ser
o tempo suicida
o que resta
é torcer
para que não seja
assim
como o vento
o tempo
foi envenenado por tudo
o que existe de errado
há tanta coisa errada
que tira inspiração
que todos vivos
tem forte tendência
a ficar como o tempo

DESCONFIO*

desconfio
que o tempo
desconfia
de mim
desconfio
que a vida
não confia
mais em mim
eu também
não confio
mais na vida
desconfio
que o vento
é que entrega
tudo o que faço
ele diz
por onde ando
e o que penso
só pode ser o vento
desconfio
que ele trocou
de lado
desconfio sempre
que o mundo
está contra mim
na verdade
sou eu quem está
de mal do mundo

MUITO EMBORA*

muito embora
não pareça
vou embora
chegou
minha hora
não posso mais
cantar
minha voz
não consegue mais
entoar as melodias
das manhãs
muito embora
eu queira mesmo
é ficar
nos bordéis
nos cabarés
muito embora
não existam mais
estarão vivos
em minhas memórias
muito embora
esteja sendo
esmagado
pela idade
ainda resta em tudo
um pouco de saudade
muito embora
adoecida a saudade

QUEM SOU EU*

quem sou
eu
depois de você
será
que sou
menestrel
será
que sou
o mesmo
aquele bonachão
moleque
descompromissado
com a vida
quem sou
eu
depois de tudo
vivido
falado
sentido
palhaço
quem sou
eu
depois desse tempo
será que sou eu mesmo
disfarçado de mim
será que sou
máquina
rascunho ou robô

PRIMEIRO CONTATO*

logo de cara
no primeiro
contato
quando meus olhos
olharam
tua face
e senti
em mim
o teu silêncio
naquele
instante
a respiração
mudou
já não sentia
mais
meu corpo
não fazia mais
parte de mim
coração
saltou para fora do peito
buscando
teu coração
foi ali naquele
momento
no primeiro contato
dos meus olhos
do teu eu
que te amei para vida inteira

INTROVERTIDO*

reclamaram
de mim
que deixei
de ser
aquele
louco alucinado
falaram
que estou
calmo
pacato demais
sem graça
sem vida
introvertido
fechado
quase padre
reclamaram de mim
que deixei
de sentir
que parei de andar
reclamaram
de mim
só porque não corro
só porque agora ando
porque não quero
mais sair
reclamaram
queriam que eu voltasse
a ser louco

NEURÔNIOS*

tantas
informações
e tão poucos
neurônios
tantas
coisas
em tão pouco
espaço
e os neurônios
morrendo
afogados
nessa avalanche
nesse lodo
neurônios
andam
cansados
fatigados
querem um tempo
sem pensar
sem precisar
processar
nada
neurônios
estão queimando
feitos lâmpadas
atormentados
por tudo
que veem rápido demais

IMPACIÊNCIA*

vejo
retratado
nos olhos
nas mãos cerradas
vejo
transpirar
em cada um
que se move
a impaciência
todos
querem
se matar
intolerantes
intoleráveis
todos
na mesma desgraça
vejo
em cada semblante
em cada rosto
as rugas
da impaciência
da incompreensão
todos no mesmo barco
todos
querendo matar
para viverem sozinhos
livres de tudo
livres de todos

CONFINAMENTO*

estou
confinado
escolhi
estar assim
não existem
culpados
nada me deixou
assim
fui
eu que escolhi
fui
eu que trancou
as portas
e jogou
as chaves fora
estou
onde sempre
desejei
estar
sem culpa
livre
do barulho
ensurdecedor
dessa cidade
estou confinado
no meu labirinto
estou onde desejei estar
sem culpa e nem culpados

SERÁ QUE FOI*

será que foi
a última das cartas
na manga
será que foi
apenas sonho
ou pesadelo
as noites
comendo
seus neurônios
a dor de cabeça
atormentado
seus ouvidos
será que foi
a emoção
ou quem estava
gritando
era apenas
a razão
será que foi
conversa
para ver se chegava
o morfeu
deus do sono
será que foi
apelo ou apenas
desespero para que a noite
acabasse logo e
levasse o desespero

SOSSEGA*

deixa
o coração
como está
sossega
não adianta
ter pressa
nem é preciso
ajoelhar
sossega
o que é seu
está traçado
nas linhas
que deus escreveu
nada muda
o caminho
não existe esse papo
de livre arbítrio
fica calmo
e segue em frente
tudo no fim
dá certo
sossega
deus já traçou seu destino
já escolheu seu caminho
não adianta ter pressa
sossega
vai devagar
vivendo sua vida

CRIANÇA BOBA*

criança boba
acredita
em papai noel
ainda não cresceu
criança boba
acha que vai ganhar
presente
não entende
que seu pai morreu
ainda acredita
em Deus
e mãe coitadinha
com lata de roupa na cabeça
carrega dentro do ventre um filho
que não é seu
é do mundo
criança boba
que não quer saber
da verdade
papai noel
não existe
nem presente de natal
apenas sua mãezinha
que agora está
sozinha na sujeira
do quintal
criança boba
ainda acredita em Deus

CORAÇÃO "XONADO"*

coração xonado
fica cego de paixão
não pensa
nem sente
quer apenas
bater
descompassado
coração
xonado
não tem dono
mas vive cercado
de dia
quer a morena
de noite
quer a pequena
e acaba sozinho
na janela do mundo
sonhando ter no futuro
coração como
o seu
apaixonado
coração xonado
deixa “o cabra” cego
não pensa
não sente
e perde a razão
não sabe se ama a loira
a ruiva ou a morena

PÉS PELAS MÃOS*

troquei os pés
pelas mãos
corri
feito louco
numa ladeira
tropecei
na montanha
na minha frente
troquei
o certo
pelo que queria
não era duvidoso
eu sabia
quis me testar
tinha sede
de conhecer
e conheci a dor
troquei
os pés pelas mãos
e caí
machuquei
entendi
que as mãos seguram
e os pés sustentam
corri
tudo de novo e agora
pulei a montanha
na minha frente

SEU NOME*

seu nome
não sei
não me lembro
poderia
ser qualquer nome
Antonio
João ou Francisco
o que importa
o nome
o sangue é o mesmo
seu nome
não me lembro mais
poderia ser
Ana
Maria
ou Cristina
que me importa
o nome
o que importa é o
do Antonio, João
ou José que somando
ao sangue da Ana, Maria
ou Cristina
fez de mim
poeta de sangue
de muitos Joãos, de muitos
Antonios, de tantas Marias, Anas
ou Cristinas

TINHA MOTIVOS*

tinha
motivos
para ser
um delinquente
decidi
ser poeta
escritor
para escrever
um mundo perfeito
diferente do que
meu pai
me deixou
a beira da miséria
tomava água com açúcar
para dormir
minha mãe
era mais criança
do que eu
tinha motivos
para ter ódio
dentro de mim
reneguei
esse meu destino
de moleque
de vagabundo
virei poeta
para esquecer toda dor
que desejaram para mim

NUNCA MAIS ESQUECER*

nunca mais
esquecer
quem sou

esqueci
quem eu era
nasci
de jeito
depois mudei
e fui mudando
vou morrer
outro
bem diferente
não sei
se melhor
ou pior
mas diferente
daquele que nasci
nunca mais
esquecer
os tapas que me deram
e as broncas de minha mãe
ah minha mãe
que hoje como eu
chora o tempo perdido
nunca mais esquecer
o que já foi esquecido
nunca mais

PRIMEIRA IMPRESSÃO*

quando a vida
se fez
para mim
muito antes
de saber
o que era vida
a primeira impressão
foi que eu
estava num grande
parque de diversões
tudo era possível
sonhar era também
permitido
aos poucos
a primeira impressão
foi se apagando
as pessoas do
grande parque
foram sumindo
os brinquedos
viraram armas
quando a vida
se fez de verdade
em meus olhos
queria voltar depressa
a ser criança
para ter sobre a vida
uma segunda impressão

IMPRESSIONANTE*

impressionante
como as
palavras
acontecem
em mim
impressionante
como em
mim
oscila a paz
há momentos
de infernos
e momentos
de serena brisa
impressionante
como em mim
há tanto para doar
e mesmo assim
suportar
o peso
dessas correntes
impressionante
como estou envelhecendo
aos poucos
caminhando para o fim
de minha existência
deixo apenas
meus livros
e minhas palavras

29 de jul de 2009

O MELHOR ESTÁ POR VIR*

eu sei
o melhor
está por vir
o melhor
da vida
a vida
reserva
para quando
as esperanças
estão quase perdidas
eu sei
aprendi
lendo
os sinais
vendo o sol
que nasce
mesmo em meio
as tormentas
eu sei
o melhor
está por vir
porque a vida
é feita de risos
e lágrimas
eu sei
o amanhã
reserva o mesmo sol
de todos os dias

PERDI O SENTIDO*

perdi
o sentido
não sabia
mais
para onde ir
para que direção
seguir
para que lado
era
cavalo
sem rédeas
perdi
o sentido
no meio
da minha vida
perdi
a coragem
de ousar
de arriscar
perdi
a fome de viver
de amar
de querer
perdi a coragem
no momento
que perdi
o sentido
a direção

AFEIÇÃO*

derrepente
a afeição
a necessidade
de ver
de ter
derrepente
desejos
e sentimentos
que se misturam
descobrir
no silêncio
a saudade
derrepente
no momento
esquecido
a lembrança
que sempre
se buscou
derrepente
no rosto
aquela afeição
perdida
derrepente
a necessidade
de querer novamente
a mesma afeição
o mesmo querer
esquecido

SEM FRONTEIRAS*

pode-se
amar
sem fronteiras
sem barreiras
.
pode-se
amar
sem ver o rosto
pode-se amar
.
pode-se ter fé
sem ver
mas não se pode
ter fé sem crer
.
pode-se
querer bem querer
sem pensar em nada
sem fronteiras
.
amar
é flutuar
viajar
no pensamento
é deslizar
ir depressa
sem fronteiras
sem medo

VOCÊ PODE MUDAR*

você pode tudo
você pode
mudar tudo
você pode mudar
seu destino
sua vida
você pode mudar
os sorrisos
pode mudar
até mesmo
o curso do mar
você pode mudar
a história
escrever
coisas diferentes
você pode tudo
pode deixar
que alguém
machuque você
e alguém
pode lhe dar amor
você pode mudar
mudar de ares
de dias
você pode mudar
sua vida
você pode mudar
muitas vidas

MUDE DE IDÉIA*

mude
de idéia
se não
suportar
as pedras
no caminho
mude
de idéias
se as suas
idéias
lhe deixam
confusas
mude
de atitude
mude
seu modo
de pensar
mude
de idéia
se algum amor
lhe machucar
amor
não machuca
ele cura
mude de idéias
sobre a solidão
sobre a escuridão
sobre a luz

FEITA DE MUDANÇAS*

a vida
é feita
de mudanças
tudo muda
o tempo
muda
a vida
muda
estradas
mudam
pessoas mudam
de rosto
de país
de mundo
a vida é assim
feita
de chegadas
e partidas
feitas de pedaços
de mudanças
de arco-íris
que vem e vão
dos pássaros
que vão e vem
a vida é assim
feita de mudanças
que bom
que não existe na vida monotonia

ERA O QUE FALTAVA*

era
o que faltava
o vento
não mais
soprar
para mim
deus
me esquecer
e o mundo
fechar
as portas
era o
que faltava
história
sem final feliz
justo
a minha
minha história
era
o que faltava
depois
de tudo
acordar sozinho
sentindo frio
e ter
que começar de novo
pelo mesmo caminho
era o que faltava

HORA MARCADA*

tento
desligar-me
do tempo
que voa
o relógio
cospe
em mim
esse tempo
que passa
tento
esquecer
da hora marcada
quando as palavras
vão ferir
outro alguém
tento
esquecer
que existe
alguém
que espera
a resposta
na hora marcada
quando
os corações
serão partidos
e os laços desfeitos
tento me desligar
desse tempo

DISTÚRBIO EMOCIONAL*

quando
as palavras
saem
desconexas
quando
as palavras
não saem
somente
lágrimas caem
distúrbio emocional
quando
não existem
mais as horas
apenas
a reclusão
dos pensamentos
confusos
atrapalhados
quando
não resta nada
só os cacos
distúrbio emocional
e as lágrimas
de um quase choro
contido
quando o céu se veste
para sempre de luto