30 de set de 2008

DOR DE AMOR

dor de amor
é dor que dói
demais
dor que não passa
dor que lateja
dor que dilacera
dor de amor
pior do que dor no rim
pior do que dor do parto
dor de amor
é dor sem cura
dor sem remédio
dor que não passa
nem com anestesia
dor de amor
só tempo ameniza
só o tempo faz doer
faz esquecer
dor de amor
fica guardada lá no fundo
para doer quando lembrar
dor de amor
é dor que faz chorar
dor que castiga
que não deixa pensar
dor que derruba
até matar
dor de amor
nem com outro amor
se cura
só tempo
ameniza a dor de amor
que não passa
não sara
não cura

MELHOR PARAR


melhor parar
parar de pensar
parar de falar
de agir
melhor parar
de ficar acordado
quando a noite
chega
melhor parar de fumar
de beber café
de andar descalço
melhor deixar de pensar
no que passou
melhor deixar o ontem
para trás
e viver o depois de amanhã
o depois de amanhã
nunca chega
melhor parar
de querer mudar
o mundo
melhor deixar de lado
o presente
embrulhado como se fosse
uma caixinha de surpresa
melhor parar
de viver
de sorrir
melhor ficar com minha xicará de café
e com meu cigarro sempre apagado

DESCOBRI QUE AMO VOCÊ

depois
que o tempo passou
descobri que amo você
foi num olhar
foi sem querer
foi num acaso
e por um instante
depois
que você foi embora
entendi
como se desenha o amor
como se escreve
as páginas de uma vida
sem querer
e depois da partida
descobri que amo você
muito tarde
depois que a noite
virou as costas
foi num instante
tudo aconteceu
não percebi o que acontecia em mim
foi depois
bem depois
quando eu apenas me lembrava
do perfume
que descobri tarde
demais
que amo você

MEU LUGAR É AQUI


aqui é meu lugar
entre o verde da mata
e todo azul do mar
é aqui
que me sinto vivo
caminho sem medo
respiro
me inspiro
vivo
aqui é meu lugar
entre o azul do azul
e vermelho da terra
entre a brisa
e o perfume da rosas
meu lugar é aqui
sentado
entre a beleza natural da vida
a realidade que esqueço
cada vez mais
meu lugar é aqui
vivendo entre meus versos
e minhas loucuras
vivendo com alegria
descobrindo os limites do meu mundo
meu lugar é aqui
entre as frutas do pomar
e as verduras frescas
entre os beija-flores
e meus cachorros
entre a natureza
e minhas verdades

JOGO DO AMOR


parece guerra
uma briga
para ver quem ama mais
quem pode mais
somos iguais
e no jogo do amor
empatamos em tudo
a saudade que sentes
eu sinto
os beijos que me pedes
eu te dou
não precisamos brigar
e no jogo do amor
jogamos
de igual para igual
as mesmas armas
não precisamos de armas
cada vez mais
precisamos de amor
o que te peço
tu me dás sem mais apelo
o que me pedes
entrego a ti
minha vida
meu coração
e no jogo do amor
jogamos tudo
e ganhamos cada vez mais
de nós mesmos

QUEM DISSE QUE ESQUECI


quem disse que esqueci
não sei se esqueci
de uma hora para outra
o que se viveu
o amor que se sentiu
nem a dor
que dói
quem disse que esqueci
o que fiz
e o que me fizeram
o que falei
e tudo o que me disseram
quem disse que esqueci
das minhas culpas
e dos meus erros
dos meus tantos pecados
e também dos meus acertos
não se esquece
de uma hora para outra
tudo o que se fez
tudo o que se viveu
a consciência é testemunha
e faz lembrar
e trás de volta
o que foi dito
vivido
sentido
quem disse que se esquece

VIVA A VIDA


viva a vida
ame
mas não se prenda
a esse amor
o amor não prende
ninguém
ele liberta
o amor ensina
como viver a vida
ensina
a ser melhor
ensina a superar
a dor
e a esquecer momentos
ruins
viva a vida
de maneira
que amanhã você
se lembre
e não se arrependa
por não ter vivido tudo
não se prenda
a nenhum amor
que não valha a pena
todo amor vale a pena
viva a vida
seus amores
suas paixões
crie castelos mesmo que de areia
voe de asa delta
se não puder
pule de paraquedas
se não conseguir pular
voe através dos sonhos
e ame
ame de verdade
mas não se prenda
a esse amor
e viva a vida
seja do jeito que for

COLO DA NOITE

vou sair
por aí
quem sabe
enfim
encontre alguém
que verdadeiramente
goste de mim
vou por aí
no colo da noite
andando nos becos
procurando
alguém que me entenda
também quero entender alguém
quero braços
que me abracem
quero um amor de verdade
vou por aí
me embriagar
de saudade
vou cair no colo da noite
e me aconchegar em seus seios
e esquecer da tristeza
que muitas vezes
quer me consolar
vou sair por aí
gritando nomes
para ver se alguém me escuta
e possa me amar também
vou ficar
deitado sobre o colo da noite
e quem sabe assim
esquecer minhas dores

SUBENTENDIDO


o amor
que era
cantado
declamado
em versos
hoje está
subentendido
não se ama mais
aquele amor
de declarações
infinitas
não se sente mais
aquele amor
que explodia
as veias
não há mais declarações
de amor
e o amor que era
explícito
em sua alma
hoje fica subentendido
nas declarações superficiais
de amor
não se ama mais
como um dia se amou
tudo hoje
é brincadeira de criança
não se leva mais
o amor a sério
e o amor que há
fica subentendido
para quem quiser
e puder entender

TENDÊNCIA


a tendência
de hoje
e de amanhã
é começar
tudo pelo fim
a tendência
do amor
é que se acabe
não haverá mais amor
se não houve amor
não restará mais nada
a tendência
da vida
é o fim
sobrará apenas corpos vazios
sem sentimento algum
sem mais a percepção
que nos faz
intensos
em nossas razões
a tendência
é que o amor
escorra pelo ralo
e a vida
se encha de hipocrisias
a tendência
é que o amanhã
nem exista mais
e o amor
seja página virada

29 de set de 2008

RAKEL

suaves
são teus traços
e delicados
os contornos
da tua face
gostoso de contemplar
a beleza
discreta
e envolvente
gostoso apreciar
todos detalhes
quando
o dia já não apresenta
tanta beleza
gostoso
poder vislumbrar
o que é belo
a doce beleza
que existe em você
beleza
discreta e marcante
suaves
detalhes
da beleza que encanta
e faz lindo
o dia que era cinza
e faz colorido
e dá vida
à própria vida
linda e tua tua beleza
Rakel

MAL ACORDEI

mal acordei
e o sol
estava na minha janela
mal acordei
e seu perfume
veio me desejar bom dia
mal acordei
e as flores
estão ali
colorindo meu dia
mal acordei
e vi
seus lindos olhos
me acariciando
e o amor
que tanto amo
ali me desejando
que o dia seja lindo
mal acordei
e em mim
o desejo intenso de viver
e a necessidade enorme
de saudar o sol
saudar as flores
saudar e amar você
que tanto amo

ARIADNE

já não sei mais
quem é você
talvez
nem você saiba mais
se sabe
se cala
como se sempre
apenas pensa
apenas sente
agora sei
o porque dos olhos tristes
agora sei
onde fica seu labirinto
agora entendo
seu silêncio
apenas não sei
se você entende
que um novo tempo
há de chegar
sei que ele trará
enfim seu sorriso
e sua alegria
e nenhum dia mais
será igual
eu sei
que um novo sol
há de iluminar
seu caminho
e no lugar de pedras
flores

CIGARRO



pra que morrer
assim
com o peito
cheio de fumaça
já não basta
o veneno
do ar que respira
pra que se matar
aos poucos
pra depois querer
viver
e não poder
pra que engolir fumaça
já não basta
todo veneno
da fumaça que sai
dos carros
pra que morrer assim
cada dia um pouco mais
se morre naturalmente
pra que então
engolir fumaça
tragar a vida
se o que se quer é viver
me diz qual
é o prazer que há
em viver em êxtase
viciado
pela fumaça
pare de fumar
antes que seja
ainda mais tarde
queira viver
mas queira viver
de verdade
chega do veneno
chega da fumaça
pra que se matar assim

ANTUNES



cansei
de perguntar
o que eu não sabia
cansei
de querer saber
não leio mais Drummond
para me entreter
ouvia Antunes
e li poesia
cansei
da mesmice
dos cabelos penteados de lado
da roupa passada
ouvia Arnaldo
e não sabia mais quem eu era
menino
homem
poeta
não lia mais Vinícius de Moraes
queria
não saber mais
nem responder
nem perguntar
não sabia mais o que fazer
adorar
idealizar
ter razão
ficar
não lia mais Manuel Bandeira
ouvia
o Arnaldo
declamar minhas loucuras
entendi
que não é preciso saber tudo
é preciso viver bem
consigo
e que se dane o mundo

BEIRA MAR


saudades
tenho
do mar
das minhas tardes
beira mar
quando vivia
sem culpa
saudades
tenho
dos meus amigos
de infância
das corridas
até a pedra mais alta
para ver do alto
a cidade
saudades
tenho dos beijos
que nunca dei
na menina linda
que ficava comigo todos os dias
sentados beira mar
de mãos entrelaçadas
era amor
e eu não sabia
não pensava em amar
e nem sabia
que aquelas tardes
à beira mar
com ela
iriam um dia
me trazer tanta saudade
dos beijos que não dei

AQUELA CANÇÃO


aquela canção
que escutávamos
à tarde
e cantávamos
nas noites
para embalar
nossos sonhos
aquela canção
que ficou mesmo
depois da partida
ainda trouxe por anos
a mesma sensação
aquela canção
colorida
e cheia de encanto
ficou sem graça
nas mesmas tardes
no parque
e naquele banco
aquela canção
que cantávamos
como declaração de amor
se desfez
depois do adeus
depois da partida
e deixou nas tardes
apenas
agora
triste melodia
do adeus
da partida

DESESPERANÇA

dias
tem dias
e tantos
e quase todos
os dias
a desesperança
a falta de fé
tem dias
que saio sem café
sem roupa
sem consciência
dias
mortos
cheios de suposições
dias
tantos
e tantos dias
sem cor
sem caso
amargos
dias sem esperança
de uma vida
normal
de uma sobrevida
dias
que me fazem
anormal
normal diante do que sinto
e sinto cada vez mais
a desesperança
de dias
tantos dias
iguais

SUTILEZA

amo
a tua sutileza
de chegar
nos meus momentos
de solidão
amo
a sutileza
dos teus passos
caminhando
na direção
do vento
amo
a sutileza
do teu olhar
marejado
de emoção
amo
teu abraço
quando meu corpo
cansado se entrega
na tua sutileza
doce do teu amor
amo
a sutileza de amar-te
quando me perco
e me achas
quando caio e me levantas
amo
teu amor
sempre vivo em mim
e a doce sutileza
de acordar do teu lado

RASCUNHOS

hoje
revirando
o meu passado
encontrei
no armário
alguns dos teus rascunhos
rabiscos
em guardanapos de papel
versos
que lhe escrevi
nas horas em que o amor
me devorava a alma
hoje
revirando
minhas angústias
li os velhos rascunhos
amarelados
os versos
que escrevi
quando teus olhos
perpetuados no meu
choravam sua emoção
ontem
revi
todas as mal traçadas linhas
de um amor
que morreu
antes do pôr do sol
e os rascunhos
agora cinzas
de um passado meu
que não existe mais

27 de set de 2008

FICAR

não vou mais
me transformar
ficar escolhendo
sentimentos
não vou mais ficar
olhando tudo
de cima do muro
vou descer
e encarar a vida
que tenho
não vou mais
ficar
escondendo meus sentimentos
não vou mais
ficar disfarçando o que sinto
há muito mais
em mim
que deixo escondido
não vou mais ficar
reclamando
dos dias sem sol
vou agradecer
os dias de luz
não vou mais ficar
escondendo meu rosto
nem ficar mais chorando
vou é viver
o que a vida me der
o que a vida me oferecer
não vou ficar
não mais

HOJE EM DIA


vivemos
presos
nos sonhos
que não nos cabe mais
sonhar
vivemos
amarrados
nos pesadelos
de querer saber
como será o dia amanhã
hoje em dia
vivemos
paranóicos
loucos para querer chegar
loucos para querer
nem sabemos ao certo o que
vivemos
loucos demais
para saber
para ter paz
alucinados
num mundo que corre
apressado demais
vivemos
uma vida
sem sentido
buscando sentido
para nossas vidas
vivemos presos
de asas cortadas
voando por aí um vôo raso
e de instantes
vivemos presos
aos sonhos
que não podemos mais sonhar

CASTIDADE

onde foi
parar
todo aquele
amor por si
onde foi parar
aquele respeito
pelo corpo
e pela alma
não há mais
nem a castidade
da alma
que foi violada
sem piedade
sem culpa
aonde foram
os velhos valores
não há mais nada
do que antes havia
acabaram com tudo
mudaram o mundo
e seus valores
mudaram as cores
tudo se fundiu
numa asneira enorme
não há mais vida
nem felicidade
nem mesmo mais
a castidade da alma
o mundo se perdeu

NINGUÉM GOSTA

ninguém gosta
de acordar cedo
de levar um fora
ninguém gosta
da segunda-feira
de sexta feira com chuva
ninguém gosta
de não ter ninguém
ninguém gosta
de sentar-se a mesa
sozinho
ninguém gosta
de não ter amigos
não ter alguém esperando
ou não ter uma rosa
no jardim
ninguém gosta
de esperar demais
a hora que não chega
ninguém gosta
de ter na vida problemas
o que se quer é paz
ninguém gosta
de mal humor
de ódio
de rancor
o que se quer
é sorriso
ninguém gosta
de tardes
olhando pela janela
sem ter uma esperança
um motivo
uma razão
ninguém gosta de viver
em vão

FELICIDADE MATA


felicidade
incomoda
felicidade mata
mata de desgosto
quem não gosta
e quem não sabe ser feliz
felicidade mata
a solidão
mata a tristeza
e todo aquele
que se esconde
da felicidade alheia
felicidade alheia mata
incomoda
deixa em fúria
quem escolhe viver
no escuro
quem escolhe
ficar nas trevas
sem sorriso
sem fascínio
felicidade mata
de insônia
quem torce contra
a felicidade do mundo
quem não sabe
e quem não quer ser feliz

FRÁGIL CRISTAL

nosso
coração
é frágil cristal
que quebra
à toa
com um suspiro
nosso
coração
é frágil cristal
que com o amor
fica ainda mais fortalecido
somos assim
frágeis
delicados por excelência
somos presente
sem embrulho
ou caixinha de surpresas
somos belo poema
de versos falidos
somos
frágeis
em nossa essência humana
nosso coração
frágil cristal
necessitado
de cuidados especiais
carente de sorrisos e afagos
somos frágeis
transparente cristal

25 de set de 2008

PELE


a pele arrepia
com o toque
com a língua
a pele sente
o frio
o calor
a pele se arranha
se machuca
a pele se cura
a pele resseca
a pele enruga
a pele estica
modifica
indica
a pele veste
a pele é branca
é negra
é amarela
vermelha
a pele
é o que faz
coração pulsar
sangue ferver
a pele
é que faz
o perfume exalar
seu cheiro
a pele
faz querer demais
o toque
a língua

DOCE TENTAÇÃO

seguem calmas
as manhãs
seguem serenas
as minhas tardes
como nunca foram
como há muito tempo
não eram
segue calma
minha vida
pelo mesmo caminho
de sempre
e o vento
cheio de manhas
traz a doce tentação
da saudade
seguem calmas
minhas horas
como há muito tempo
não eram
e da minha janela
sinto a brisa mansa
da doce tentação
da lembrança
que eu sei
um dia o tempo apaga


O CORPO FALA

o corpo fala
o corpo pede
o corpo cede
o corpo cala
o corpo adoece
o corpo enlouquece
o corpo diz
entrega
o corpo cresce
o corpo vive
o corpo morre
o corpo dança
o corpo dorme
o corpo
a extensão da vida
o corpo fala
sem palavras
o corpo baila
por si só
o corpo encanta
canta
fascina
seduz
ensina
o corpo reclama
o corpo
espelho da alma
do que veste
do que sente
de tudo o que faz
de como vive
o corpo fala
berra
urra

INCONSCIENTE

chamo você
insconsciente
chamo você
mesmo sem querer
quero sempre
chamo você
nos meus sonhos
nas minhas manhãs vazias
nas minhas noites carentes
chamo você
quando está ausente
mesmo insconsciente
chamo você
para perto de mim
nem quero chamar
e chamo
não quero precisar
e preciso
inconsciente
chamo seu nome
chamo seu corpo
chamo o carinho gostoso
você
já está em mim
fincada em minha memória
trancada no meu consciente
e mesmo inconsciente
chamo você
sempre para perto de mim

VELHAS MANIAS*

ainda tenho
as velhas manias
da infância
ainda guardo bem
o que minha mãe
me ensinou
e o que aprendi
sozinho
ainda rezo de joelhos
todas as noites
ainda agradeço
quando abro a janela
converso com as plantas
do jardim
cumprimento estranhos
com sorriso
ainda sou o mesmo menino
tímido por natureza
aquele que se confessa
para Deus
faço o que minha mãe ensinou
e ainda bem lembro
das velhas manias
de respeitar os mais velhos
de comer tudo
e beber água
ainda guardo em mim
os conselhos do meu avô
de querer
e poder ser melhor sempre
ainda guardo as velhas manias
de me fechar em sonhos
quando tenho medo
do escuro
e por onde ando
sei que Deus está comigo
foi assim que aprendi
e guardo até hoje
essas velhas manias

SEI

posso falar por mim
eu me conheço bem
não falo por ninguém
eu sei de mim
o que penso
o que sinto
não posso falar por ninguém
sei de mim
por onde ando
o que faço
de quem gosto
o que posso
e o que não posso
sei o que falo
não falo por ninguém
ninguém sabe de mim
como me sinto
mesmo que tentem
eu sei de mim
dos meus medos
das minhas angústias
e os caminhos por onde ando
posso sentir
o que sei que posso
sei lidar comigo
sei quais são os meus perigos
e minhas fraquezas
ninguém mais sabe
só eu
sei de mim

IMAGINO

imagino
o gosto
do seu pecado
imagino
o mel nas coxas
molhadas
imagino
seu beijo quente
sua língua molhada
imagino sua saliva
no canto da boca
imagino
o calor do seu corpo
imagino estar em você
sentir você
suas verdades de mulher
imagino
o céu da sua boca estrelada
imagino
seu abraço
seu corpo suado
imagino você
nua na cama desarrumada
imagino a noite
em seus braços
imagino seu amor de mulher
seu querer toda hora
imagino
meu nome em sua voz
imagino

ÍNTIMO

gosto de entrar
em você
entrar no seu íntimo
sem tocar em você
gosto
de passear com meus olhos
pelo seu corpo
gosto de invadir
seus pensamentos
gosto de tocar você
sem tocar
gosto de sentir o cheiro
da sua pele
gosto de sentir o toque
macio das suas mãos
gosto de invadir
sua intimidade
gosto de desvendar
seus sonhos
bagunçar seus dias
e mexer com você
gosto de estar
no íntimo da sua alma
e ficar ali
acariciando você
sem atrapalhar seus dias
eu em você
no íntimo da suas horas
e do seu consciente

24 de set de 2008

IDADE

idade
não diz nada
conheço
jovens
velhos demais
e velhos
cada vez mais jovens
idade não diz nada
o que diz
são os calos
que a mão carrega
o que conta
são as rugas
no rosto envelhecido
a vida que se vive
a vida que se leva
idade
não representa verdade
tem jovens envelhecendo
antes do tempo
mergulhados na preguiça
e no lamento
e velhos
vivendo cada instante
e cada momento
sem reclamar
do tempo
idade não diz nada
é apenas desculpa
para quem não quer fazer
idade
é o tempo
para os jovens velhos
e para os velhos jovens

O QUE ESPERAR

o que esperar
do fim
o que esperar
de todo sofrimento
o que esperar
do ontem
o que esperar
dos outros
o que esperar dos erros
pode ser
que seja tarde
ou cedo demais
para se arrepender
o que esperar
então do amanhã
o hoje devora
o que ficou
o que esperar
somente que a dor
que os olhos voltem a ver
a cor natural do amanhecer
o que esperar
da noite
apenas que ela finde
e traga
novas emoções
e uma nova aquarela
de sensações
o que esperar
que tudo se perca
no fim
e no esquecimento

É PRECISO

é preciso saber
a hora saber a hora certa
de falar
de dizer
de não mais calar
é preciso saber
a hora certa
de acabar com tudo
desligar o mundo
da tomada
é preciso saber
a hora
de sair
e ir embora ou voltar
e abrir a mesma porta
é preciso
saber a hora de calar
de deixar as palavras
guardadas na garganta
e sufocar
o pranto ainda entalado
é preciso
saber a hora certa
de chorar
e recomeçar do zero


MUDANÇAS

é preciso
saber
a hora de mudar
é preciso
entender
quando não dá mais
pra continuar
é preciso
saber a hora certa
de partir
de encaixotar sentimentos
cobrir com lençol coração
e sair
rumo ao nada
é preciso saber
a hora certa de partir
é preciso saber
a hora certa de mudar
de nome
de endereço
de e-mail
de mundo
é preciso ter coragem
pra dizer chega
pra dar um basta
e começar logo
todas as mudanças

NORMAL


não se tem
a referência
que se tinha
não se sabe mais
quem é louco
e quem é normal
perdeu-se
a verdade
o contato com a realidade
não se tem
a mesma imagem
que se tinha
no espelho outra imagem
refletida
o que é normal
o que é loucura
todo mundo na mesma
todo mundo igual
hoje em dia
ninguém mais é normal
todos loucos
e cada um
em sua insanidade mental

AMOR QUE NÃO SUFOCA

amor que gosto
é amor
que não sufoca
é amor
que deixa livre
se for amor
volta
amor que gosto
é amor
de verdade
solto
livre
e preso
sem amarras
sem correntes
apenas amor
amor que não sufoca
que não enrosca
amor que deixa livre
pra voar
pra voltar
e sempre volta
gosto de amor que ensina
do amor
que ajuda a crescer
amor que não sufoca
e desse amor
que gosto
amor que ensina a voltar
sem pedir que volte
amor que volta
amor que não corta as asas
amor que dá asas
amor que não sufoca

INVEJA

não pode ser
amor
é inveja
inveja
do amor que sinto
amor que não é seu
e nunca será
inveja do que tenho
do que sinto
não ser nada mais
é inveja
do abraço
e do sorriso
que ganho quando nasce
o dia
não preciso de mais nada
para ser feliz
de noite
tenho meu amor
que me aquece e me envolve
o que jamais terá
é inveja
e não amor
se isso for amor
que o amor mude de nome
de cor
de país
quando se ama
se ama pra valer
eu amo
e não é você

SUSPEITA

deixo
esse amor
sob suspeita
sob a desconfiança
do mais nobre
sentimento
deixo
esse amor
falar por si
amor de verdade
não precisa de argumentos
não precisa
de palavras
nem de explicações
amor
por si só
não pede nada
entrego
esse amor
a minha dor
e deixo sob suspeita
os seus olhos
ainda vidrados no meu
eu ainda me lembro
do beijo
deixo
para não errar
em julgamentos
não se julga o amor
e como se sente
o amor que sente
deixo
o amor falar por si
e se entregar
e se condenar
a viver
ou a morrer sozinho

FRIO

coração frio
coração gelado
morto
despedaçado
coração
que já não pulsa mais
que já não bate mais
coração frio
pela manhã fria
manhã sem sol
coração gelado
sem blusa
sem agasalho
coração que não pensa mais
que não sente mais
coração frio
sem vida
arranhado
pelo vento que sopra
pelas frestas da janela
coração frio
já não sente
ferido demais
machucado demais
com frio do homem
com frio do mundo
nu
sem blusa
sem agasalho
coração frio
morto
gelado

PENSO EM VOCÊ

penso em você
mesmo que eu tente
negar
penso em você
penso no seu jeito meigo
penso do meu jeito
não sou de falar
no que penso
e como penso
os dias vão passando
os sentimentos
ficando mais fortes
o pensamento voltando
mesmo que haja mais
para pensar
penso em você
no seu dia
nos seus passos
e sinto falta
das conversas
e sinto falta
quando some
pelas manhãs ensolaradas
penso em você
do meu jeito
e me entrego
a esse pensamento
e viajo
e lhe busco
e lhe acho
em meio às nuvens do céu
em meio às ondas do mar
do mar
que envolve
do mar que sempre nos envolve
penso em você
e nem sei mais o que dizer

23 de set de 2008

POR ENQUANTO


por enquanto
encanto
por enquanto
canto
pra disfarçar
o que sinto
por enquanto
me distraio
com meus erros
por enquanto escrevo
meias verdades
por enquanto
aceito
por enquanto
eu nego
me fecho
e me defendo
por enquanto
enquanto houver
encanto
eu busco
o seu prazer
até que as horas
acabem com o que sinto
por enquanto
sobram sentimentos
sobra tempo pra pensar
e pra dizer
todo encanto terminar
por enquanto
apenas um verso
sem rima

NEGUE


negue
o amor
que sinto
negue
o amor
que dou
negue as noites
os dias
negue o tempo
que vivemos
negue o beijo
negue o sobrenome
negue tudo
negue que ama
negue que sente
que há em você
mais que amor
só desejo
negue
que não sente falta
que não lembra
que não quer
negue
a sede do corpo
a fome do beijo
negue
que suas noites
são vazias
que lhe falta amor
justamente
o amor
que eu lhe dou
negue
que não precisa
de mim
que sou assim
indiferente
negue
se conseguir

DE LADO

melhor
deixar de lado
toda raiva
toda mágoa
melhor
deixar o tempo
cicatrizar
as feridas
melhor esquecer
o que foi dito
deixar de lado
a emoção
e ouvir pelo menos
uma vez a razão
melhor relevar
cada um
com suas verdades
melhor que seja assim
antes que tudo se perca de vez
melhor mesmo
é contar até três
até dez
até mil
melhor deixar de lado
esquecer
relevar talvez
antes que tudo termine
de vez

ENTENDIMENTO


o que falta
é a capacidade
de entender
o que pensa
o que falta
é entendimento
e a capacidade
de aceitar
as diferenças
o que falta
é respeito
e um pouco de
bom senso
o que falta
é coragem
de aceitar
os próprios defeitos
falta entendimento
para saber
que somos limitados
que somos falhos
que não somos
tão racionais
e imperfeitos
falta coragem
e um pouco mais
de decência
falta
entendimento
para estender as mãos
e amparar
nosso irmão

NECESSIDADE

queremos amor
temos
necessidade
de calor
temos fome
e a necessidade
de alimento
sede
e a necessidade
do beijo
queremos sempre mais
necessidade
de não sermos iguais
queremos sorte
para vencer
necessidade de viver
queremos
um abraço
um carinho
necessidade enorme
de sermos
amados
queridos
queremos amparo
queremos abrigo
necessidade de segurança
de conforto
somos assim
extremados
em nossas necessidades
mais absurdas

ENTRE GRADES


quem vive
entre grades
e gritos
quem vive
fechado
cercado de concreto
quem vive
sem verde
e sem verdades
quem vive
sem o cheiro
de terra molhada
quem vive
sem amor
e sem fé
quem vive
entre grades
e berros
quem vive
no absurdo
de um céu cinza
quem vive sem sorriso
e sem carinho
quem vive
fechado
num quarto apagado
quem vive de véu
e chorando
toda dor
quem vive
entre grades
e o terror de não mais
poder viver