31 de mar de 2008

APLAUSOS

aplausos
somente
quando
eu morrer
tirem de mim
as luzes
e os neon
não quero
aplausos
amem o poeta
matem o homem
quero aplausos
apenas
na hora da minha
morte
se houver
nessa hora
alguém comigo
aplausos para as poesias
e para os poetas
espalhados pelo mundo
esqueçam cada vez
o homem
e aplaudam
ainda mais o poeta

CONVICÇÃO

sua convicção
é mais do que certeza
sua convicção
assusta
sua convicção
é faca de dois gumes
é adaga
que fere
que mata
sua convicção
faz parar
é farol vermelho
é pisca alerta
sempre acesso
sua convicção
é mal para quem
não conhece
e bem para quem
sabe mais de você
sua convicção
é suporte
para que você
passe por cima
feito trator
sua convicção
faz você arredia
faz você fera
a torna feia
a faz bela

ABSTINÊNCIA


quando se ama
se ama
a falta de amor
causa dor
quem ama
quer
se apossa
sem saber
a falta de amor
causa abstinência
quem gosta
não gosta
de ficar assim
sem notícias
sem chamego
quem ama
ama
não fica sem
quando se ama
se vai além
fica sufocado
angustiado
ficar sem amor
é sofrer
a pior de todas
abstinências

MAL NECESSÁRIO

amar
é mal necessário
sentir saudade
é mal necessário
cair
é mal necessário
voltar
é mal necessário
mal necessário
é chorar
mal necessário
é dinheiro
mal necessário
é trabalhar
levantar de manhã
solidão
às vezes
é mal necessário
mal necessário
é ter que
senão que
porque
mal necessário
é paixão
é amor
é êxtase
é...

COMO É BOM

como é bom
desafiar
a si mesmo
como é bom
sonhar
de olhos abertos
como é bom
estar de bem com a vida
contar com a sorte
ter em si
a esperança
como é bom
pisar na terra
sentir o vento
ter fé
ser perfeito
como é bom
quando tudo dá certo
quando as unhas não quebram
quando os sonhos
se realizam
como é bom
escrever poesia

IRRITADO


irritado
fico
quando
quero escrever
e não consigo
quando quero
falar
e não deixam
quando quero
dormir
e não consigo
irritado
fico
quando
me apontam os dedos
sem eu saber
porque
irritado fico
quando não
entendem
o que eu digo
quando tentam
falar por mim
irritado fico
quando
o dia termina
e sinto
que não fiz nada

NÃO TENHA MEDO

se não conhece
não tenha medo
medo de quê
melhor arriscar
fechar os olhos e ir
se arrepender
é pior
não tenha medo
deixe-se levar
se não conhece
enfrente
se não sabe o gosto
experimente
não tenha medo
não volte
no meio do caminho
melhor então não ir
se começar termine
se for
não tenha medo
não sabe como é
arrisque

FLORESCER

tinha que florescer
flôres em qualquer
lugar
entre pedras
e no meio do mar
tinha que florescer
como floresce o amor
nos corações
todos os dias
não escolhe
apenas nasce
assim deveriam
ser as flôres
florescer
em qualquer lugar
entre as pedras
e até mesmo
em alto mar

ATITUDE


tenha
atitude
se errou assuma
melhor para você
quer mudar
tenha atitude
não faça nada
que não queira
nem fique com
quem não vale a pena
tenha atitude
melhor ele
sofrer
do que você
faça o que fizer
tenha atitude
não titubeie
seja o primeiro
o pioneiro
tenha atitude
e que seja ela sempre
a seu favor

DROGAS


drogas
matam
matam rápido
matam devagar
drogas
consomem
fazem sentimentos
evaporar
drogas
secam corações
secam o corpo
matam de dentro
para fora
drogas
envenenam
afastam todos
aprisionam
drogas
lícitas
são drogas
ilícitas
são para os covardes
drogas
matam de várias formas
amou
uma vez
já era

FUNDAMENTAL


fundamental
é amar
é o amor
fundamental
é respirar
seja o ar que for
fundamental
é querer suficiente
e não querer demais
fundamental
é viver
é ter paz
é não se esconder
fundamental
é viver
fazer o que se gosta
e tirar da vida
todo prazer
que puder
fundamental é viver
é amar
sofrer também
ensina
faz crescer
aprimora
é fundamental

INESPERADO


gosto
mesmo
é do gosto
gostoso
do inesperado
da surpresa
gosto
de fazer acontecer
não gosto de esperar
gosto de supreender
sem esperar
é melhor
tem mais graça
atiçar
surpreender
o inesperado
me agrada
é melhor
é mais gostoso
supreender
marcar
inesperado

OCIOSO


há quem diga
que não faço
nada
que sou ocioso
que não me preocupo
que não trabalho
que fico
a contar
quantas vezes
o vento muda
de direção
quantas vezes as nuvens
encobrem o sol
quantas gotas
da chuvam demoram
para deixar
o chão molhado
há quem diga
que sou vagabundo
que sou ocioso
pode ser que seja
mesmo
eu sei o que sou
sei o que faço
quantas horas
escrevo
quantas horas me perco
quantas horas

TRÉGUA

quero água
uma trégua
peço paz
não faço guerra
tudo foi demais
me consumiu
me arrastou
levou o que não devia
trouxe o que eu não queria
quero água
uma trégua
para me refazer
das derrotas
limpar minhas armas
quero paz
não sou de guerra
já sofri demais
já corri atrás
não quero mais
brigar
agora só pelo que vale
a pena
se vale a pena
não sei
quero água
uma trégua
quero paz
não sou de guerra

ENTERRO


enterro
num túmulo
sagrado
e já profanado
qualquer sentimento
que ainda possa
existir
enterro
e perpetuo
qualquer chance
de sentimentos
renascerem
das cinzas
enterro
e deixo a cruz
fincada
para me lembrar
da existência
do que não resistiu
e morreu
enterro
bem fundo

30 de mar de 2008

PREFÁCIO


antes de ler
eu já sabia
o que já estava previsto
antes de tudo
acontecer
me foi dito
eu não acreditei
não quis ler
o prefácio
da minha vida
mesmo
sem ler
eu sabia
que tudo aconteceria
daquele jeito
e aconteceu
e eu nem sei porque
não queria que fosse
daquele jeito
eu não li o prefácio
da minha vida
sem saber
soube que tudo aconteceria
me disseram
um dia

EU ME AMO


eu me amo
aprendi
a me amar
como sou
dentes tortos
(não foi culpa minha)
foi culpa da sorte
eu me amo
engordando
ficando barrigudo
(isso é coisa que não sonhei)
ando demais
minhas panturrilhas
chegam a doer
eu me amo
nem eu sei porque
aprendi a me amar
e a me aceitar
como sou
impaciente
meio inconseqüente
antes era mais irreverente
ando mais sério
pensando na vida
eu me amo
me amo assim
como sou
como aprendi a ser

CASA E COMIDA

o que quero
é casa e comida
lugar para eu dormir
um prato de sei lá
o que
se não tiver "pc"
escrevo no caderno
não esquento
tudo está dentro de mim
ninguém pode arrancar
o que quero
é minha casa
é um prato de qualquer coisa
um pouco de Drummond
um pouco de Bandeira
quero casa e comida
papel e caneta
e uma dose extra
de transpiração
casa e comida
e uma cama limpa
onde possa
morrer um pouco
até meu dia de novo
acontecer

PRETENSÃO

quero apenas escrever
escrever até cansar
escrever até morrer
essa é a pretensão
que tenho
escrever até a noite chegar
escrever até o dia nascer
quero escrever
é o que sei fazer
quero levar minha luz
por onde for
deixar tudo escorrer
pelo vão das minhas mãos
quero escrever
apenas escrever
de noite
de dia
até o fim dos meus dias
e transformar se possível
e fazer pensar
será possível
minha pretensão
e não ter pretensão
nenhuma
apenas escrever

SEM PROPOSITO


não tenho
a intensão
de provocar
faço tudo
sem propósito
não quero invadir
nem tenho a intenção
de perverter
pensamentos
faço sim
mas sem propósito
quero apenas
que olhe
que me veja
e que não me esqueça
tenho o que você quer
eu tenho certeza
mas tudo isso
é sem propósito
sem intenção
quero apenas que me veja
e não me esqueça
não tenho a pretensão de marcar
apenas quero
chamar sua atenção
sem propósito
de propósito

SEM DIMENSÃO

impossível medir
amor assim
sem dimensão
impossível
ficar procurando
com um amor
medidas exatas
saber quem ama mais
não tem como medir
não há dimensão
para um amor assim
não há como medir
um amor assim
amor sem dimensão
sem tamanho
impossível
medir
nem há porque
não tem porque medir
quem ama mais
eu ou você

QUERO COLO


quero colo
deitar em teu colo
quero colo
me abrigar
esquecer da vida
me sentir protegido
quero colo
teu colo
para me alimentar
de sonhos
quero colo
teu colo
para me abrigar
para que ninguém em
teu colo me ache
quero ficar
no teu colo
até que nada mais reste
e eu fique
em sonhos e devaneios
quero teu colo
me embriagar
em teu colo
me perder
e deixar que o mundo
lá fora
corra por mim
e eu aqui
fico sem tempo certo
e me perca em teu colo

MELANCOLIA


o dia de chuva
o dia frio
o dia que as roupas
ficam molhadas
dia que nada seca
melancolia
aperta
o dia de tarde intensa
o dia da noite que não chega
não tenho coragem de nada
quero só ficar deitada
na minha cama
coberta até a alma
olhando para o nada
apenas pensando
a melancolia
aumenta o frio
aumenta minha vontade
de ficar aqui
deitada
na minha cama
dia frio
e noite que não chega
e até que chegue fico
deitada
na minha melancolia

BRAÇOS DA SAUDADE


mesmo
quando nego
quero e me atiro
sempre
nos braços da saudade
mesmo
quando fujo
nos meus tropeços
caio devagar
nos braços da saudade
que me embala
e me acalma
quando meu coração chora
mesmo
sem assumir
sinto a saudade
e me atiro em seus braços
e me acalmo
na saudade que sinto
mesmo
que não enfrente
mesmo que o medo
às vezes me domine
me acalmo
nos braços da saudade
que é forte
e eu nego

AVALIE SEMPRE

sua vida
é reflexo
do que anfa fazendo
se quer saber
avalie sempre
reflita sobre o que faz
sobre o que pensa
sobre o que quer
sobre o que deseja
sua vida
é seu reflexo
reflexo
do que pensa
de como age
pense bem
reflita
avalie sempre
se for preciso mude
se for preciso volte
se sua vida
está ruim
melhore
faça diferente
e por favor
avalie sempre
você é o que pensa
e sua vida
reflexo

NÃO É MEU


meu amor
não é meu
seu amor
não é meu
seu olhar
seu mundo
seu coração
não é meu
o que é meu
não me pertence
meu amor
minha vida
nada do que tenho
e o que não tenho
não é meu
o sonho
nem as vontades
o amor
que pensei sentir
que pensei ser meu
não é meu
o seu amor
também perdido
não é meu
o que é meu
nem eu sei
não tenho nada
o que tenho não
é meu
nem as rosa jogadas
nem o sangue no chão
nada é meu
nem seu amor
nem o meu


CADA VERSO


cada verso
serve como elo
que vai se fundindo
em minha espiritualidade
cada verso
faz de mim
ainda mais mortal
ainda mais largado
num mundo
que somente
conhecem
os poetas
cada verso
é desabafo
cada verso
minha estupidez
minha solidão
cada verso
momento único
pensamento único
cada verso
amor
paixão
entrega
cada verso
renúncia
elos que se unem
para minha eternidade
para a hora
que hei de chegar

SINAIS


em todos os lugares
o que mais tem
são sinais
não ligamos
deixamos para lá
sem querer saber
sem se importar
sinais
em toda hora
em todo lugar
nos olhos
e na boca
em corpos
desconhecidos
nas palavras
que se lê
no inconsciente
todas as horas
sinais
irrelevantes
ora sinais
incoerentes
passamos por cima
não ligamos
sinais
de vida
de bem querer
sinais de amor
de morte
de dor

SIGNIFICADO


o que não importa
para ninguém
tem significado
importante
para mim
o que desprezam
eu quero
o que jogam fora
recolho
o que não importa
para ninguém
tem significado para mim
um amor jogado
um pecado dito
palavras
tudo para mim
tem significado
um olhar
um jeito torto de falar
um ponto
uma vírgula
ou apenas reticências
o que não importa
o que é jogado fora
para mim importa
dou valor
tudo o que se descarta
palavras
olhares
tudo tem significado
nada se perde

29 de mar de 2008

REDOMA


minha redoma
não me protege
me isola
e me deixa
vulnerável
minha redoma
apenas
me engana
é meu esconderijo
é meu labirinto
tem entrada
mas não tem saída
minha redoma
é de papelão
não é de vidro
minha redoma
tira minha luz
e me cega
me protege
e me expõe
minha redoma
se abre
para que entre o ar
e o perfume da noite
minha redoma
é de papelão
e tem seu nome pixado
de todos os lados
do lado de dentro
para que mesmo
trancada
escondida
perdida
não me esqueça você

PAIXÕES QUE INVENTO


paixões que invento
paixões que me fazem sofrer
sofro
porque sofrer
me dá a sensação
da dor
que dá vida
paixões que invento
são paixões
que duram instantes
que me fazem bem
que me causam
dor
que faz
com que me sinta vivo
paixões que invento
são que me fazem melhor
eu me machuco
e a dor
que sinto
me faz sentir vivo

INSTANTES DE LOUCURA


instantes loucura
quando nada
é nada
quando se fala
e em resposta silêncio
instantes loucura
ficar procurando
na rua
o sorriso que não sei
se existe
instantes loucura
rasgar os livros
que escrevo
por achar tudo
diferente de mim
instantes loucura
o ar que não entra
o ar que falta
asfixia
instantes de loucura
quando as flôres
dos vasos murcham
e não há mais flôres
no jardim
instantes loucura
quando não há
mais nada

FAZ FALTA


faz falta
um sorriso
um abraço
um perfume
faz falta um beijo
um aperto de mão
faz falta
o sol na pele
a água do mar
amigos por perto
andar de bicicleta
dirigir
o carro que não tenho
faz falta
uma boa companhia
um cinema
um teatro
faz falta
um telefonema
uma música
um bilhete
faz falta
andar no meio da multidão
andar num parque
faz falta respirar
falta amar de verdade
amor verdadeiro
faz falta
de verdade
um sorriso sincero para mim

MEU TEMPO


meu tempo
é diferente
do tempo
que há nos relógios
meu tempo
tem segundos
e minutos
diferentes
meu dia
não tem apenas
24 horas
tem dias que tem mais
tem dias quem nem tem
meu tempo
corre atrás de mim
dele eu fujo
e ele me segue
às vezes me escondo
ele me acha
eu e ele
brincamos
eu corro atrás dele
e ele corre atrás de mim
meu tempo é assim
meu dono
meu amigo
meu tempo

NÃO SINTO MAIS


não sinto mais
tudo
como sentia antes
não sinto mais
o alimento que como
não sinto mais
a água que bebo
não sinto mais
meus pés tocando o chão
nem meu coração batendo
não sinto a vontade
que eu sentia
a vontade que eu sinto
é diferente
não sinto mais
aquela euforia
mudou tudo nas tardes
e nas noites
não sinto mais sono
nem vontade de dormir
tenho medo
de não mais acordar
já não sinto mais
medo de morrer
já morri

MEU MODO DE VER



meu modo de ver
e de sentir
o amor
não é mesmo
é bem diferente
vejo um amor livre
e sem correntes
onde todo mundo
ama todo mundo
onde amor liberta
e não prende
meu modo de ver
a vida
é diferente
ela passa devagar
é fera que não se doma
meu modo de ver
o tempo
é como o tempo me vê
é diferente
é invertido
vejo tudo em verso
tudo em poesia
tudo é mais intenso
cheio de amor
cheio de vida
meu modo de ver
é como escolhi viver
e como vivo


POETAR - 2


poetar
é me prender
nas minhas redes
poetar
é me enroscar
em sentimentos
nos meus sentimentos
poetar
é ficar sozinho
por horas
é não ver o sol
não ver o dia
poetar
é deixar se consumir
é morrer
do próprio veneno
poetar
é ficar preso
no amor que sente
é ficar
sozinho
vendo a vida passar
esperando a morte chegar
poetar
é se embriagar sem beber
e tragar
sem fumar
poetar
é se enroscar cada vez mais
no amor
a essa dama
a poesia

PEQUENO


sou pequeno
perto do que sinto
pequeno demais
nem sei como sou
capaz
de aguentar
tanto sentimento
sou pequeno
e o que sinto
é grande
enorme
e meu peito resiste
o que sinto
é grande demais
divido com todos
divido com o mundo
sou pequeno
minúsculo
insignificante
o que sinto
é enorme
é gigantesco
desproporcional
divido com o mundo
me sinto mais leve
me sinto enfim
grande demais
enorme

RESPONSÁVEL


a realidade
me prende
corda responsável
me prendendo
no chão
me prendendo em mim
a realidade
não me deixa voar
a realidade
não me abandona
em momento algum
e a corda
me prende
cada vez
quanto mais tento fugir
mais me prendo
corda
responsável
em me deixar
vivo
na realidade
de não poder querer
na realidade
de não quero sonhar
quanto mais tento
mais me enrosco
nas cordas
na realidade
que sempre me esmaga

NINGUÉM VÊ


ninguém consegue ver
como me sinto
ninguém escuta meus gritos
ninguém ouve meu silêncio
ninguém vê
meus olhos
vermelhos de tanto chorar
tudo está muito distante
e mesmo quando não há
distância
a distância de alguma maneira
se faz
e ninguém
ao menos pergunta como me sinto
se morri ou se estou vivo
ninguém vê
como me sinto
também não vejo ninguém
não escuto nada
só ouço gritos de madrugada
meu gritos
e mais nada

O QUE VIVO

o que vivo
são os dias
que escolhi
o que vivo
é a minha razão
é minha inconsequência
sou dono de mim
dono dos meus atos
dono do que escolhi
o que vivo
é minha alegria
e minha tristeza
minha paz
e meu tormento
não existe culpado
somente eu
o que vivo
são apenas reflexos
me prendo
e me liberto
corro por aí
e volto correndo
o que vivo
é como escolhi viver
ninguém tem culpa
apenas eu


SOLITÁRIO


faz tempo
que ando
solitário
faz tempo
que ando
e me sinto sozinho
mesmo com tanta
gente
me sinto assim
solitário
minha alma está
sozinha
não faz tanto tempo assim
quase um século
que ando só
sem ninguém
solitário
e vou vendo tudo
de forma diferente
de cores e sons
até o gosto da vida
solitário
fica diferente
faz tempo
um dia
um mês
um século

ESCOLHAS


vida
tantas escolhas
tem a vida
tantas opções
e um só destino
destino
que não se conhece
que não se percebe
destino
incerto
vida
de escolhas incertas
de tempo
e um destino
que não se sabe
nem se conhece
depois de ter vivido
enfim se percebe
que era
ou não era

TRANCADO EM MIM


trancado em mim
não penso
apenas vivo
e escrevo
escrevo tudo o que sinto
e o que vejo
trancado em mim
o mundo lá fora
parece diferente
do que sinto
trancado em mim
nada me atinge
só eu mesmo
posso me ferir
e colocar na minha pele
farpas da minha existência
trancado em mim
não vejo cores
nem sinto dores
nem o vento que sopra
trancado em mim
não sou o mesmo
que sempre fui
sou diferente
trancado em mim
não sinto
apenas escrevo

28 de mar de 2008

HORIZONTES


os
horizontes
não mudam
nem as pedras
na praia
nem as ondas
que incansáveis
insistem
em quebrar
as barreiras
meus olhos
buscam os horizontes
que não mudam
de tempo
nem de lugar
fico olhando
as pedras
e as ondas
que insistem
em como eu
furar as ondas
se os horizontes
não mudam
mudo eu
e se as ondas não furam
as pedras
as pedras
machucam as ondas
assim como eu
se não consigo
por um meio
tento outro

VICIADO

sou viciado
nesta droga
chamada amor
preciso acordar
e cheirar o frescor
da manhã
e lembrar sempre
que tem alguém
que gosta de mim
preciso de amor
nas minhas veias
preciso de amor
em mim
para viver
sou viciado
dependente desta droga
poderosa
que mata
que me devora
essa droga
chamada amor
droga que dilacera
que me faz sonhar
me faz andar por aí
buscando
por todos os lados
o amor
que me mantém vivo
essa droga
poderosa
chamada amor

POUCO CASO


não estou nem aí
se minha aparência assusta
nem ligo para
seu pouco caso
há coisas bem piores
espalhadas
minha aparência
não importa
se importa
não ligo
e do seu pouco caso faço
escada e subo
enquanto se preocupa
comigo
seu pouco caso
só me ajuda
há coisas bem piores
espalhadas por aí
quero mesmo é assustar
quero mesmo é causar
e assustar você
na verdade
não quero nem saber
nem ligo
e seu pouco caso
me faz crescer

VAMPIRISMO


a morte
está banal
como a vida
um corpo
sem vida no chão
não mais assusta
vampirismo puro
há os vampiros
da felicidade
e do bom humor
há vampiros
que sugam energia
vital
consciente
ou não são vampiros
sugam
o que há de bom
sem deixar vestígios
a morte
ficou banal
como a vida
e um corpo
estirado no chão
não assusta mais
há o bem
e há os vampiros
também
vampiros que andam
de dia
que bebem água benta
que se refletem no espelho
que rezam
e se dizem crentes
vampiros de energia
de felicidade
de paz de espírito

HUMILHAÇÃO


chega
não vou mais
aceitar
tanta humilhação
ver você
assim
assediado
por tanta gente
tantas meninas
querendo você
eu ali no meio
não vou brigar
por sua causa
chega
dessa humilhação
de correr atrás
fique com tantas
e sem mim
pior para você
melhor para mim
chega
de me humilhar

O QUE SE QUER

o que se quer
nem sempre
é o que se pode ter
é sempre assim
o que se quer
faz enlouquecer
faz correr demais
faz correr
eternamente atrás
sem ter esperança
o que se quer
é impossível
melhor deixar
para lá
viver sem esperar
esperar nada
o que vier
o que se quer
é apenas acordar e
sem esperar nada